Clique aqui e confira também nosso tema da semana

Geopanoramas e o mundo visto do alto

Como a gente enxerga a cidade, o país e o mundo, e não apenas olha pra eles. Como identificar a ação humana nos territórios e entender quem somos e para onde vamos. Essa é a premissa do canal de conteúdo Geopanoramas.

O geógrafo Adriano Liziero faz reflexões a partir de imagens aéreas que sequer precisariam de legenda. A matéria-prima é digital. Mas a visão analítica e, sobretudo, extremamente humana de Liziero fazem toda a diferença. O canal é obrigatório para quem se preocupa minimamente com o futuro da humanidade.

Realidade vista do alto

No Geopanoramas, ele cria narrativas que abrem a mente dos seguidores para o modo geográfico de pensar as paisagens, assim como a relação do homem com a natureza.

Ou seja, o cara é um educador que não se limita ao ambiente da escola ou a livros.

www.juicysantos.com.br - geopanoramas - a terra vista do alto

Para ele, a cidade e a internet são territórios igualmente importantes quando se fala de educação.

​”Ver do alto nos ajuda a construir um novo ponto de vista sobre os lugares, pois enxergamos as coisas em ângulos que não estamos habituados. É uma oportunidade muito didática de ver o todo e perceber a relação entre as partes que formam a paisagem”, explica, no site oficial. 

A ação humana nas mudanças climáticas e nas desigualdades sociais estão em foco no Geopanoramas. Mas, ao invés de provocar choque e tristeza, nos faz pensar e refletir sobre soluções por essa nova perspectiva.

“As paisagens são retratos de nós mesmos. Elas são resultados das nossas escolhas. Quando olhamos uma imagem de satélite, conseguimos ver o ser humano, não na sua forma, mas por meio das suas ações. A melhor forma de perceber isso é olhar a totalidade. Por isso, o distanciamento ajuda”, explicou Liziero no Juicycast. 

A riqueza de detalhes do Geopanoramas

O ponto de vista do Geopanoramas no Instagram viralizou algumas vezes.

Na pandemia, quando analisou o antes e depois do cemitério da cidade de Manaus, com seus milhares de mortos por uma doença negligenciada pelo governo brasileiro. Quando houve o desastre das chuvas no Carnaval de 2023 no Litoral Norte, sua análise correu a internet e pautou grandes veículos de comunicação nacionais. O conteúdo sobre o Dique da Vila Gilda, a maior favela de palafitas da América Latina, que fica em Santos, impactou centenas de milhares de pessoas. A tragédia de Brumadinho também já esteve em pauta no Geopanoramas.

www.juicysantos.com.br - geopanoramas - a terra vista do alto

Mas ele vai muito além de posts compartilháveis. Sua newsletter quinzenal é um verdadeiro presente para qualquer pessoa que goste de aprender coisas novas.

E você pode contribuir com o programa de apoiadores que vai viabilizar a produção de novos e mais densos conteúdos no Geopanoramas.

Santos no clima

Vivendo em Santos há alguns anos, o geógrafo está preocupado com os impactos das alterações climáticas na cidade pela qual é apaixonado.

Por isso, iniciou o projeto Santos no Clima.

A cidade já figura como uma das mais impactadas pela questão. Existem órgãos e universidades de todo o mundo com os olhos voltados para a região da Baixada Santista. Tudo está sendo observado de perto. Então, vale acompanhar o Santos no Clima para entender o futuro entre nossos canais.

Aliás, a geografia tem tudo a ver com essa questão na máteria que fizemos sobre por que faz tanto calor em Santos.

O escritório do geógrafo é o mundo

No Juicycast, Adriano Liziero conversou com a gente sobre como a conscientização é o melhor caminho para a transformação.

Assista ao episódio completo no YouTube:

Avatar
Texto porFlávia Saad
Santos (SP)