Texto porFlávia Saad
42 anos - Santos (SP)

Mais árvores no Monte Serrat para enfrentar mudanças climáticas

O Monte Serrat é um dos pontos mais altos da nossa cidade. E um novo plano pretende enriquecer as áreas verdes dos morros de Santos e replantar vegetação onde foi suprimida com o passar dos anos.

E as espécies serão nativas da Mata Atlântica, para preservar o corredor ecológico do local e contribuir na adaptação dos morros às mudanças climáticas.

O plantio deve começar em março de 2024. Para isso, pessoas da própria comunidade serão contratadas para ajudar nas atividades.

www.juicysantos.com.br - monte serrat mudanças climáticasFoto: Carlos Nogueira/PMS

“Essa iniciativa, que conta com o apoio da Agência Alemã GIZ e do professor João Vicente, da Universidade Estadual Paulista (Unesp), visa criar corredores ecológicos que beneficiem tanto a flora quanto a fauna local. A medida não só contribuirá para a adaptação dos moradores às mudanças climáticas, mas também para a preservação da biodiversidade da região”, explica a engenheira agrônoma da Seção de Mudanças Climáticas (Seclima), da Secretaria de Meio Ambiente, Greice Pedro.

Hortas nos morros em Santos

Outra ação que começa em breve é a criação de hortas comunitárias no Monte Serrat, um pedido dos próprios moradores para atender a comunidade visando a segurança alimentar. Esse estudo começou a receber sugetões da comunidade em 2019. Embora o debate tenha ficado em aberto na época da pandemia, em 2023, eles retomaram e agora começam os primeiros passos para a implementação das ações.

“É uma solução baseada na natureza e que vai contar com o apoio de professoras da Unifesp com o pessoal do Composta Santos, pensando em agricultura urbana, em compostagem. Ou seja, tem a ver com o reaproveitamento adequado de resíduos”, sinaliza a agrônoma.

Portanto, a medida tem a ver com geração de renda e vai gerar impacto nesse território.

“A ideia é trabalhar em soluções para poder recuperar as áreas com plantio e horta, que são medidas importantes para recuperar o ecossistema, mas também a instalação de espaços de convivência e de lazer para os moradores. Sempre que possível, em vez de construir uma obra de engenharia, com concreto, cimento, vamos fazer algo utilizando vegetação”, afirma geólogo Victor Valle, da Victor Valle.

Ambas as iniciativas fazem parte do projeto-piloto Adaptação Baseada em Ecossistemas no Monte Serrat, da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semam), por meio da Seção de Mudanças Climáticas (Seclima).  E elas devem gerar conhecimento e tração para que isso aconteça em outros lugares da cidade.

É essencial observar – e agir em cima – das necessidades de adaptação da cidade frente às mudanças climáticas. Especialmente, nos morros, com as consequências do aumento do nível de chuvas (e riscos de deslizamentos) e das altas temperaturas.