Ludmilla Rossi
Texto porLudmilla Rossi
38 anos - Santos

Chelsea Market em Nova York

Não escondo de ninguém minha paixão por Nova York. Escrevi algumas dicas sobre a cidade aqui no Juicy Santos a cada retorno que fiz de lá. Dessa vez retornei à cidade enquanto a primavera começava a eclodir. Um friozinho de ar-condicionado com um solzinho delícia ajudaram que minha passagem por lá fosse ainda melhor.  Apesar do pouquíssimo tempo para curtir NYC (fiquei mais de 6 dias enfiada em eventos maravilhosos), consegui fazer alguns programas que em nenhuma das vezes anteriores couberam no tempo.

E um deles foi curtir o Chelsea Market em Nova York, que a partir de agora considero OBRIGATÓRIO toda vez que voltar para lá.

O Chelsea Market fica pertinho do parque suspenso High Line, na 9th Ave com a 15th Street. Dá para passar umas boas horas por lá comendo e acessando pequenos stands de  artistas locais.

Referência paulistana:  imagine uma mistura de Mercadão Municipal com Mercadinho Chic – esse é o Chelsea Market. Comida deliciosa, mimos e acessórios trendy comprados direto dos artistas e ingredientes para quem ama cozinhar.

Quem insistiu para eu ir até lá foi a amiga Paula Ragucci. Eu achei que não daria tempo devido a correria dos compromissos que eu tinha, mas tive a grata surpresa de saber que um dos eventos que eu participaria era na mesma região do Chelsea Market.

Não pensei duas vezes em almoçar á.

chelsea-market-em-nova-york-entrada

Logo na entrada você é recebido com uma Anthropologie, loja bacanuda de roupas, mimos e objetos de decoração. Vale a pena visitar a loja porque:

1) Você sempre vai babar…

2) No andar de baixo tem uma salinha de SALE com excelentes achados. Comprei uma blusa de seda pura por 30% do preço original. SO MUCH WIN!

3) Tem free Wi-Fi, o argumento mais matador de todos!

Além da Anthropologie você vai encontrar pop-up stores ali dentro. Tem uma logo na saída (ou entrada, depende de onde você vier, hehe) e uma bem no meio do mercado. São quadros, camisetas, roupas vintage e joias de ouro e prata de enlouquecer!

Um baita lugar legal para comprar presentes exclusivos.

Ok, mas e a comida? Já vou chegar lá. Antes veja algumas imagens da parte shopaholic do Chelsea Market (você pode ampliar todas as fotos, basta clicar em cima delas).

chelsea-market-em-nova-york-popup

chelsea-market-em-nova-york-popup-joias

chelsea-market-em-nova-york-quadros

chelsea-market-em-nova-york-vinhos

Eu achava que o lugar com melhor custo benefício para comer lagosta era o nordeste brasileiro ou o Caribe.

Mas me enganei. No Chelsea Market em Nova York dá pra comer uma lagosta inteira (sim, ficar enjoado de lagosta se é que isso existe) por R$ 60. Também falo disso no final desse post. Mas antes de decidir comer a lagosta, recomendo que você “deguste” as outras opções: gingerbreads, restaurantes italianos, chineses, mercadinhos e lojinhas de tempero são  alguns dos exemplos.

Uma loja de doces de lá quase me deixou maluca com a variedade de chocolates. Entre eles os hypados Mast Brothers, que são deliciosos. Não adianta colocar aqui o nome de todos os locais pois a melhor dica que eu posso dar é para você se perder nas prateleiras do Chelsea Market.

chelsea-market-em-nova-spices


chelsea-market-em-nova-spices2

A arquitetura do Chelsea Market também é maravilhosa misturando o passado com a comtemporaneidade do lugar. O prédio abrigava no século passado uma fábrica de biscoitos (Nabisco) – isso explica o Oreo Sandwich na parede, os canos expostos e objetos antigos espalhados pelo local. Muita coisa antiga da fábrica foi reaproveitada para novos usos.

Chelsea Market em Nova York = arquitetura, moda, música, gastronomia. Tudo misturado em uma receita deliciosa.

A lagosta do Chelsea Market

Uma das melhores coisas que já comi! Bem no meio do lugar tem uma loja só de frutos do mar, bem iluminada. Durante os finais de semana é abarrotada de gente (tanto que eu desisti de comer a lagosta num domingo). Voltei na segunda-feira às 15h e o local estava uma maravilha: sem filas e lugar para sentar. Consegui comer minha lagosta tranquila, levando o tempo necessário. Literalmente me lambuzando (é impossível comer sem sujar as mãos, já aviso) com tanta gostosura.

A lagosta é apenas aferventada e acompanha sal e manteiga líquida. Tudo uma delícia, pelo preço de U$ 23.

Cenas fortes. Miss you, Lobster.

lagosta-do-chelsea-market-2

lagosta-do-chelsea-market-1

lagosta-do-chelsea-market-3

Ficou com água na boca? Se você vai ou conhece alguém que está com passagem comprada para Nova York nos próximos dias, semanas e meses, náo deixe de passar esse post pra frente! 😉

É lugar obrigatório para visitar em Nova York.

Ah, também fiz outro post sobre onde comer em NYC: 5 lugares imperdíveis para comer em Nova York

Chelsea Market e a fábrica de biscoitos

A história do Chelsea Market já é incrível por si só: o mercado fica dentro do que era uma fábrica de biscoitos da Nabisco que funcionou entre 1898 a 1959. Algumas referências desse período estão visíveis até hoje nas instalações do mercado. Existem placas, pinturas nas paredes, vitrines e detalhes que estão conservados desde então.

Eu sou apaixonada por esse valor que o americano dá ao colocar significado em seu turismo, fazendo sempre os visitantes reconhecerem a quantidade de histórias que existem em cada cantinho.

No meio do Chelsea Market é impossível não reparar numa fonte decorativa, que  é feita a partir dos canos originais da construção. É uma delícia observar a estética industrial/steampunk.

 

chelsea-market-em-nova-york-oreo