Ludmilla Rossi
Texto porLudmilla Rossi
37 anos - Santos
TAGs

Como Viajar Com Milhas

A primeira vez que eu viajei com milhas foi em 2011. De lá para cá, nunca mais parei: viajar é uma das coisas que mais gosto de fazer. Viajar com milhas então, é um dos meus grandes prazeres. É maravilhoso pensar que você não pagou nada pela passagem aérea e pode usar esse dinheiro para outra coisa, seja economizar, garantir uma hospedagem num hotel melhor ou fazer umas comprinhas para você e para os amigos.

Viajar com milhas é um paraíso. Eu já perdi as contas de quantas viagens fiz depois que descobri o mundo mágico das milhas. E confesso que demorei um pouquinho para aprender a como o sistema de acúmulo de pontos funcionava justamente porque no começo eu pensava: é bom demais para ser verdade.

Mas passados bons anos, começar a acumular pontos e aprender a como fazer isso de maneira mais estratégica me ajudou a fazer as seguintes viagens usando pontos:

Como viajar com milhas

  • 8 viagens para Nova York, nos Estados Unidos
  • 1 viagem para Amsterdam, na Holanda
  • 1 viagem para Milão, na Itália
  • 2 viagens para Paris (e outras cidades francesas)
  • 3 viagens para o Rio de Janeiro

Sendo que em algumas dessas viagens eu levei meu marido (também usando milhas) e em 2016 presenteei minha mãe com uma viagem para Paris graças às milhagens.

Como comecei a viajar com milhas

Antes de começar, eu fiquei com essa dúvida e severamente cética. Foi uma amiga que comentou comigo sobre o rolê das milhas e eu me atentei que sempre havia ignorado os pontos acumulados do cartão de crédito. Não gosto nem de pensar sobre quantos pontos do cartão de crédito eu desperdicei antes dessa data. E tenho uma má notícia: você pode estar fazendo o mesmo.

Na época eu não tinha para quem perguntar e existiam poucos sites que explicavam detalhadamente como utilizar os programas de milhagem. Mais do que isso, quais eram as dicas práticas para conseguir acumular mais pontos, garantir multiplicação das milhas, entre outros fatores.

O bom é que hoje já existe muito conteúdo avançado sobre como viajar sem pagar passagem aérea (ou seja, usando pontos) e por incrível que pareça existem até treinamentos avançados para ninguém ficar desperdiçando milhas.

O fato é que muita gente enxergava o sonho de viajar para fora do Brasil (uma ou mais vezes por ano) como algo muito distante. Não era tão diferente para mim, pois eu sempre queria viajar e outras prioridades apareciam então eu adiei os planos. Para você ter uma ideia eu fiquei sem pisar num avião por mais de dez anos!

Em 2006 voltei a viajar fazendo trechos nacionais pagando o avião do meu bolso. E cinco anos depois descobri o incrível mundo das milhas aéreas.

Como viajar com milhas na prática

A seguir vou dar algumas dicas que aprendi ao longo dos anos.

A primeira delas é a mais óbvia e que funcionou para mim: você deve se programar para pagar todas as suas despesas do dia a dia no cartão de crédito. Essa é a maneira mas básica e fácil para acumular pontos e que está acessível para quase todo mundo.

É muito importante que você faça um planejamento financeiro para não se enrolar no cartão de crédito. Nada de entrar no rotativo: as milhas só valem a pena quando você não paga juros de cartão de crédito, ou seja, só comece essa brincadeira se você for organizado o suficiente para quitar sua conta de cartão de crédito todos os meses.

A outra dica é entender se o seu banco atualmente oferece um bom multiplicador de pontos. Por exemplo: se o seu cartão for Black ou Platinum é provável que você acumule mais pontos por dólar gasto. Existem cartões que chegam a oferecer 3 ou 2 pontos a cada dólar gasto. Mas isso não é impeditivo: meus cartões não são tão vantajosos assim e eu consigo acumular pontos todos os meses. Hoje eu tenho um cartão Mastercard que me dá 1,7 pontos a cada dólar gasto e um cartão Visa que me oferece 1,3.

Antes de qualquer coisa, converse com o seu banco para entender se você já está acumulando pontos (e se não estiver ATIVE isso com seu gerente imediatamente) e qual é o seu fator multiplicador.

Mas a dica de ouro é…

…saber que existem várias maneiras de multiplicar seus pontos de maneira independente do cartão. Hoje podemos dizer que há pessoas que acumulam pontos de maneira básica, intermediária e avançada.  Eu ainda me incluo na categoria intermediária, mas já existe gente por esse mundão afora com técnicas absurdamente inteligentes para multiplicar as milhas.

É o caso do João Pedro, expert no assunto e acumulador profissional de milhas. Ele aprendeu a como viajar de graça para dentro e fora do Brasil e criou um método para acumular pontos de maneira fácil e rápida.

Melhor que isso, ele começou a compartilhar conhecimento sobre o assunto, mesmo para quem não tem cartão de crédito.

Clique aqui para assistir um vídeo do João Pedro sobre como acumular pontos

Lugares que indico para viajar com milhas

Você consegue viajar com milhas para vários lugares do mundo. Para quem sonha em conhecer Nova York ou destinos comuns da Europa como Paris e Milão, as milhas serão muito úteis. Apenas nos primeiros três meses de 2018 eu economizei mais de R$ 7.500 em passagens aéreas!

Eu também uso muito as milhas aéreas para viajar a trabalho, gerando economia para a empresa onde trabalho.

Dicas práticas para viajar com milhas

Esse foi o conhecimento que acumulei

  • Cadastre-se em um programa de milhagens. Eu recomendo a Multiplus (clique aqui para se cadastrar)
  • Passe tudo no seu cartão de crédito, não importa o valor (pode ser um suco, mas use o cartão)
  • Use o seu melhor cartão de crédito, ou seja, aquele que gera mais pontos a cada dólar gasto (mesmo que você não faça compra em dólar)
  • Procure formas de multiplicar os pontos, como parceiros Multiplus, Smiles, etc. Aqui tem como aprender a fazer isso.
  • Controle seus pontos
  • Fique de olho nas passagens com pontos
  • Emita sua passagem e programe sua viagem!