Victória Silva
Texto porVictória Silva
Jornalista, 23 anos - Santos

Tatuagens e Santos, uma história que começou no cais do porto

Em 1959, a Rua João Otávio, nas Docas, era tão movimentada quanto a região do Gonzaga nos dias de hoje. Os passantes esbarravam com marinheiros e ouviam línguas vindas de diversas partes do globo. Aliás, era possível dizer que está região nem ficava em Santos, dado o número de estabelecimentos e placas na língua inglesa. No número 2 desta rua, por exemplo, ficava Tattoing Tattoo o primeiro e até então único estúdio de tatuagens da América do Sul.

Sim, a história das tatuagens e Santos coincide com a da chegada desta arte no Brasil.

E, mais do que isso, ela completa 60 anos em 2019.

Tatuagens e Santos, 60 anos de amor

Lucky Tattoo, o responsável pelas primeiras tatuagens em Santos

O nome do cara que trouxe a tatuagem para o Brasil é Knud Harald Lykke Gregersen. De acordo com registros, o dinamarquês desembarcou no porto de Santos em 20 de junho de 1959. Além do nome impronunciável, mais tarde trocado por Lucky Tattoo, ele também trazia em sua bagagem os ensinamentos técnicos de seu pai – um dos maiores tatuadores da Dinamarca nos anos 30 e 40 – e máquinas de tatuar.

Teve que explicar na imigração o que eram as máquinas, tarefa feita sem muitas dificuldade. E depois, levou alguns poucos dias para alugar uma loja e coloca-la para funcionar. Já que estava em uma região portuária, colocou a seguinte frase em uma placa em frente ao estabelecimento na Rua João Otávio:

Não é um marinheiro se não tiver uma tatuagem.

“Foi ele quem trouxe a primeira máquina de tatuagem elétrica para o Brasil. Antes, existiam outros tatuadores com outras técnicas (rudimentares)”, explica Rodrigo Redh, tatuador e organizador do Santos Tattoo Festival.

“Também foi a chegada dele que ajudou a tatuagem a ser pauta de revistas e outros meios de comunicação da época”, continua.

Imagem: Reprodução

A arte da tatuagem passou a ser conhecida a partir deste momento. Mas a fama de Lucky (que se tornou internacional) se consolidou quando ele passou a tatuar também pessoas que não trabalhavam no porto. Assim, conquistou um novo público: o dos surfistas. Aliás, vale dizer que o Menino do Rio cantado por Baby Consuelo tinha uma tatuagem made in Lucky.

Se você não sabe de quem estamos falando, é simples: José Artur Machado (o Petit) era surfista e símbolo de uma geração carioca. Ele é o garoto que Caetano Veloso enaltece na composição cantada por Baby. Aliás, o dragão tatuado no braço saiu da imaginação do tatuador.

Talento que vai de pai para filho

Tamanha a popularidade que as tatuagens ganharam, cerca de 21 anos após a chegada de Lucky em Santos a Galeria A.D Moreira (Gonzaga) passou a ostentar seu próprio estúdio de tattoos. Mais uma vez, o dinamarquês estava envolvido na história – novamente de pioneirismo. Isso porque sua filha Erna quem comanda o local, ou seja, a primeira mulher a tatuar no Litoral de São Paulo. Além disso, o endereço também marcou a primeira vez que a tatuagem ocupava uma área nobre da cidade.

Segundo conta a história, Erna teve o nome abrasileirado para Ana e se tornou uma figura popular na galera. Infelizmente, a tatuadora faleceu em 2008.

juicysantos.com.br - Tatuagens e SantosImagem: Leandro Moraes/UOL

Além de Erna, George Frederik Gregersen também é filho de Lucky. Atualmente, ele tem 50 anos e vive em Itanhaém, numa casa onde o pai também tatuava. A reportagem do Juicy Santos tentou entrevista-lo, mas não conseguiu contato 🙁

Segundo pessoas que conheceram o cara, ele também tatua e mantém boa parte do acervo do pai na casa onde vive.

Destaque nacional

Sem sobrenome dinamarquês ou qualquer ligação a Lucky, Tatiana Alves conquistou o mundo da tatuagem e é referência no mercado atual. Só para ilustrar a dimensão do sucesso dessa santista: ela abre a agenda apenas uma vez no mês e lota rapidamente (de acordo com ela, chegam cerca de 500 e-mails em pouco mais de 3 minutos de agenda aberta).

Aliás, já rolaram temporadas de trabalho no exterior para atender a demanda.

“Eu nunca me imaginei tatuadora, foi algo natural. Iniciei com micropigmentação estética e só 6 anos depois comecei a tatuar”, comenta.

Se você nunca ouviu falar de Tati, vamos a um breve resumo: ela é, hoje, um dos mais renomados nomes a nível nacional no estilo fineline. Ela sempre amou desenhar e começou a tatuar por conta do incentivo de amigos próximos.

A busca por novas técnicas e o estudo constante ajudou Tati a conseguir um traço que por muito tempo era considerado impossível. Aliás, por isso que ela acumula mais de 260 mil seguidores no Instagram.

“Atualmente, o fineline está muito em alta. Mas, em 2008, quando iniciei, era um estilo pouco conhecido. Ouvi de muitos profissionais que era impossível fazer traços muito finos”.

Assim como a filha de Lucky, essa santista também é pioneira. Apesar de não ser a primeira tatuadora de Santos, título que pertence a Erna, ela deu vida ao primeiro estúdio feminino de tatuagem da Baixada Santista, o Blush Tattoo. Além de mulheres tatuando, o local também tem um ambiente bem decorado, delicado e aconchegante.

Onde tatuar em Santos

Além do estúdio da Tati, quem quer fazer uma tatuagem em Santos tem várias opções à disposição. Ainda na pegada do girl power, você também pode ser tatuada por minas incríveis como, por exemplo:

  • Aline Vieira
  • Ana Lua
  • Larissa Cavalcante
  • Milena Costa
  • Mallu Santos
  • Nane Anders
  • Pamela Hunzicker

+ Temos uma matéria completa sobre tatuadoras em Santos aqui no Juicy, se acaso você quiser saber é só clicar 😉

A lista de talentos da tatuagem em Santos também tem vários homens que mandam super bem. Seria necessário um post inteiro para lista-los, porém é possível citar alguns estúdios nos quais você vai fazer uma tatuagem incrível, tais como por exemplo:

  • Mordenti Tattoo
  • Náutica Tatto
  • Polska Tatto
  • Santos City Tattoo
  • Mordenti Tatoo Studio

Nenhum desses endereços ficam na região das Docas, mas uma coisa é certa: todos eles reconhecem o pioneirismo de Lucky Tattoo e sabem onde ficava seu estúdio. Afinal, a data em que o dono do estabelecimento que ficava na Rua João Otávio chegou a Santos foi escolhido como dia nacional do tatuador. Era dia 20 de julho de 1959.