Victória Silva
Texto porVictória Silva
Jornalista, 24 anos - Santos

Por dentro da Pinacoteca Benedicto Calixto – o casarão na praia de Santos

Construído em 1908, o casarão branco na orla da praia em Santos ficava sozinho no horizonte.

Isso porque, diferentemente do cenário atual – em que está envolto de prédios cada vez mais altos -, naquela época, a orla da praia estava começando a ser vista como uma possibilidade de moradia pela elite. Santos vivia, então, uma de suas primeiras transformações urbanas.

Nestes mais de 100 anos, a população santista assistiu a várias mudanças no cenário da cidade. Apesar disso, o casarão branco segue firme como a morada de uma parte importante da cultura e arte da cidade.

www.juicysantos.com.br - pinacoteca benedicto calixto Fotos: Pinacoteca Benedicto Calixto

Em um espaço de mais de 6 mil metros quadrados, a Pinacoteca Benedicto Calixto encanta seus visitantes. Mas, apesar da beleza da construção e do acervo, a média anual é de apenas 60 mil visitas. Só para ilustrar, cerca de 250 mil visitantes passam pelo Orquidário e 600 mil pelo Aquário de Santos. Sendo que ambos os equipamentos têm entrada paga e a Pinacoteca de Santos é gratuita.

O casarão à beira mar e suas (várias) funções

Se você faz parte da turma que nunca foi à Pinacoteca de Santos, coloque-a na sua lista de coisas para fazer no fim de semana. O passeio por lá é incrível. E a gente garante: quase impossível não se apaixonar.

Para começar, o casarão tem uma arquitetura lindíssima e jardins igualmente encantadores.

Mas a verdade é que as coisas nem sempre foram assim bonitas. Depois de construir o casarão, seu primeiro dono viveu por lá durante pouco mais de três anos.

Vendeu o imóvel para uma família de portugueses que também teve problemas financeiros e se mudou logo em seguida.

Entre 1913 e 1921, a mansão funcinou como um asilo.

Depois disso, o segundo dono voltou a comprar a casa e fez uma reforma que, entre outras coisas, deu à casa:

  • Elementos ornamentais em estilo art nouveau;
  • Escadaria em mármore;
  • Vitrais executados pela Casa Conrado de São Paulo;
  • Jardins em estilo francês.

Ou seja, a construção passa a ser como nós a conhecemos.

Com tantas mudanças, o cara gastou uma nota e, em 1936, precisou vender a residência novamente. Então, a casa virou um pensionato para moças e até um cortiço onde viviam 24 famílias. Só em 1986, depois de uma interferência da Prefeitura, o casarão ganhou sua atual função.

Tudo sobre a Pinacoteca Benedicto Calixto

Após uma longa restauração, a Pinacoteca de Santos abriu as portas em abril de 1992.

Desde a fundação, o objetivo era que o local fosse um espaço para atividades culturais. Por isso, quem vai à Pinacoteca Benedicto Calixto encontra um acervo de obras de arte e também um calendário de atividades e até a possibilidade de trocar livros. Tudo de graça.

“Nós temos uma exposição permanente do Benedicto Calixto, que inclusive é da Baixada Santista – nascido em Itanhaém. Em maioria as obras retratam Santos em diferentes épocas, ou seja, uma forma de conhecer a história da cidade”, comenta Fábio Luiz Salgado, produtor cultural da Pinacoteca.

Todas as obras do artista ficam no andar superior do casarão branco. Já na parte de baixo, os visitantes encontram exposições itinerantes que mudam a cada dois meses. Para completar, a agenda do equipamento ainda tem palestras, workshops, apresentações de teatro, música e dança.

Nos finais de semana, também rolam aulas de yoga e alongamento nos jardins.

Ensaios fotográficos na Pinacoteca de Santos

Desde 2012, o imóvel da Pinacoteca Benedicto Calixto é tombado pelo Conselho Municipal de Defesa do Patrimônio Cultural de Santos. Estamos falando do último dos casarões existentes na região da época áurea do café.

Por isso, uma parcela dos visitantes busca – além de conferir o acervo e programação – apreciar a arquitetura do local e transforma-la em cenário para ensaios fotográficos de debutantes, noivas e gestantes, por exemplo. Se acaso você quiser fazer fotos por lá, atenção: é preciso agendar.

“Nós pedimos que os interessados venham até a secretaria para pegar os detalhes. Cada ensaio acontece de um jeito, então é necessário vir até aqui para entender as permissões em cada um dos casos”.

Sua refeição nos jardins da Pinacoteca de Santos

Além de ver arte e fazer fotos, todo bom santista ama comer, né? Para a nossa sorte, o rolê na Pinacoteca oferece isso também: primeiramente, você confere a arquitetura da casa, em seguida vai apreciar as obras de Benedicto Calixto e, depois, se deliciar com uma boa gastronomia.

Isso porque, nos fundos do casarão ficam duas opções deliciosas: o Bistrô Calixto e a Forneria Calixto.

Em resumo, o Bistrô está aberto em qualquer horário que você passar por lá. Pois eles tem desde o café da manhã até o jantar – com opções deliciosas inclusive para o café da tarde. O cardápio e o atendimento são impecáveis e é difícil escolher um prato preferido por lá. Já a Forneria funciona apenas à noite, a partir das 19 horas, e serve pizzas deliciosas.

Vai lá

Ficou com vontade de passar uma tarde na Pinacoteca de Santos? Então vai lá! A entrada é gratuita e o passeio, uma delícia. Se você tiver livros para trocar, o equipamento é um ponto de Livros Livres, ou seja, pode levar na mochila e voltar com outros para casa.

A visitação à Pinacoteca Benedicto Calixto é gratuita e acontece de terça-feira a domingo, das 9h às 18 horas. Já o espaço gourmet funciona até às 23 horas.

O endereço é Av. Bartolomeu de Gusmão, 15, no Boqueirão.