Texto porLeandro Marçal
Escritor e jornalista, Santos - SP

Todo dia é dia do fim do mundo

  • 1
    Share

– É o fim do mundo!

– Quê?

– Fim do mundo. Tá tudo escrito lá. O fim dos tempos, tudo se acabando.

– Tá falando sério?

– Claro que tô. Tá tudo escrito lá!

– Lá onde?

– Lá, ué.

– Sim, lá. Mas lá em que página? Em que momento falam no fim dos tempos?

www.juicysantos.com.br - estoque de papel higiênico para o fim do mundo - crônica de leandro marçal

– Não sei, mas tá lá.

– Hmmm…

– Não acredita?

– Não.

– Como não?

– Não tem nada a ver. Sempre aconteceu coisas como essa de agora. Só que é a primeira vez que a gente vê.

– Quanta descrença! Gente igual a você só aprende na marra, no sofrimento, viu? Cuidado!

– Tem nada disso. Pode olhar. Coisas como essa de agora aconteceram há 50, 100, 200, milhares de anos. Sempre e sempre. Repetindo. Pra quem morreu foi fim do mundo mesmo. Mas só pra eles.

– Como tem coragem?

– Mas é. Quantas vezes você ouviu falar no mundo se acabando e ele não acabou? O mundo tá acabando desde que começou.

– Céus!

– É a verdade.

– O que sua mãe diz sobre isso?

– Olha, antes de ser pai, eu dizia pra ela ter medo de pôr algum num mundo tão cruel, insano, maldoso como esse. Que com tanta coisa acontecendo, o melhor era não transmitir a nenhuma criatura o legado da nossa miséria. Sabe o que ela disse?

– O que ela disse?

– Disse que não tinha porque ter esse medo, que desde muito nova ela ouvia os mais velhos falando no fim do mundo. Mas ninguém viu ele acabando. Só se vê o próprio fim do mundo. Ele parece que tá sempre acabando, mas tá sempre se renovando. Sempre é fim do mundo.

– Que medo dessa gente!

– Que gente?

– Essa gente que não tem medo do fim do mundo.

– Você tem?

– Claro que tenho. Olha as coisas acontecendo como essas de agora. Só pode ser o fim do mundo.

– Desisto, tenho mais o que fazer.

– No meio do fim do mundo?

– No meio do fim do mundo.

– Céus.

– Bom fim do mundo pra você.

– Vira essa boca pra lá!

– Se cuida, não quero seu mundo acabando antes da hora.

– Céus! Até mais.