Em busca do melhor hot dog de Santos

Clique aqui e confira também nosso tema da semana

Sexta-feira à noite. Uma conversa despretensiosa entre amigos no GTalk. “Nossa, que vontade de comer um hot dog”. Mas aí veio a dúvida: onde, em Santos, dá pra comer um hot dog daqueles suculentos, recheados, de responsa?

E foi assim que começou o Juicydog Tour: a busca pelo cálice sagrado, ou melhor, pelo melhor hot dog da cidade. O juri convocado para tal missão incluiu, além de nós, meninas do Juicy, Guilherme Sagas, Maurício Matias, Raphael Tognini e Lia Mendes.

Estabelecemos que os sazonais juninos – como as quermesses da Gota de Leite ou Embaré – não entrariam na parada. Listamos quatro opções para experimentar na mesma noite (sim, somos guerreiros!). Avaliamos custo/benefício, atendimento, sabor, apresentação, acompanhamentos (ketchup e mostarda) e ambiente. UPDATE: pra quem perguntou, a escala das notas é de zero a 5. Eis os escolhidos e as nossas impressões sobre os sanduíches:

Hamburgeria Santista (Rua Azevedo Sodré, 83)
A primeira parada da noite foi em uma das casas mais hypadinhas da cidade. Adolescentes formam fila na porta para conseguir lugar e comer sanduíches sarados com preços salgados. O ambiente é lindo, com decoração inspirada na Santos antiga.

Pedimos três hot dogs (R$ 17,50 cada), o que já provocou um olhar desconfiado por parte dos garçons. Sim, vamos dividir. “Não gostei muito do atendimento. Não fomos maltratados, mas os garçons olhavam estranho pra gente porque estávamos em cinco, e depois em sete, dividindo três dogs. E quando o garçom que nos atendeu trouxe a água que eu e o Guilherme pedimos, ainda perguntou, rindo, se nós dividiríamos a água também”, diz Nathalia.

Diferentemente de mim, o Maurício curtiu o hot dog, porque ele veio carregado no bacon (além de vinagrete e maionese caseira). O catchup e a mostarda eram Heinz e isso agradou à Ludmilla. Veio acompanhado de batata ondulada meio murcha. Nhé.
Nota: 2,8


Sr. Sanduíche
(Av. Washington Luiz, 325)
Quatro opções de hot dog pelo preço justíssimo de R$ 10,90 cada. Pedimos um de cada e a garçonete não olhou torto pra gente. O 1 levava cheddar, bacon, tomate; já o 2 tinha duas salsichas, mussarela de búfala, milho e vinagrete; o 3 trouxe duas salsichas também mais molho parmegiana, milho e queijo ralado e, por último, o 4 veio com molho de tomate, milho e purê de batata. Eu e o Raphael gostamos muito do 3.

Opinião dele: “Pro geral 3,75, pro de Parmegiana 4,25. O preço é maior que de um dog normal, mas é grandinho e tem coisas diferentes. Recomendo!”. Já a Lia curtiu o de mussarela de búfala. O Guilherme não gostou, achou muito cheio de coisas.
Nota: 3,8

Surf Dog (Av. Conselheiro Nébias, 835)
Terceiro pitstop: o tradicional Surf Dog. Mais conhecido pela cerveja do que pelos sanduíches, fica cheio de gente todas as noites da semana. Difícil de estacionar. Precisamos morrer com R$ 7 cada no estacionamento. Se você estiver sem carro, ok. Se não, arme-se com muita paciência ou R$ 7… hahahahah Enfim, o hot dog chegou super rápido, tipo em 4 minutos!

E o preço é muito amigo: R$ 4,50 pelo tradicional (ou seja, o estacionamento custou mais do que o lanche).  Tem as opções com salada e maionese. Nas palavras imortais de @sagas, “honestidade e sabor”.
Nota: 4

Carrinho da Neneca (em frente ao número 30 da avenida da praia)
Para terminar de maneira roots, andamos da Conselheiro (R$ 7 de estacionamento e muitas calorias pra queimar) até o famoso carrinho da Neneca, que fica em frente ao Moby Club. Por R$ 4, foi o único prensado que encontramos. E isso não é apenas um detalhe: todo mundo estava querendo um prensadinho…

O Raphael escolheu a versão 4 queijos. “Ser prensado agregou pontos, mas 4 queijos my ass. kd o gorgonzola?”, comentou o Guilherme. A Lia achou que tinha gosto de “chapa queimada”!! Detalhe que lá não tem lugar pra sentar, é comer em pé depois da balada mesmo.
Nota: 2,75


E aí, quem tem dicas de onde comer um hot dog de qualidade por aqui?