Victória Silva
Texto porVictória Silva
Jornalista, 23 anos - Santos

A história do Centro de Santos: onde nasceu a cidade

Minha avó, como tanta gente por aí, chama o Centro Histórico de Santos de “cidade”.

E ela não é a única, pois o termo foi comum durante muito tempo. E, inclusive, aparecida no letreiro dos ônibus com destino ao tradicional bairro santista até meados dos anos 90. Agora, pra quem nasceu mais recentemente, a expressão precisa ser traduzida logo em seguida. De todo modo, o apelido e o motivo de sua existência fazem parte da história do Centro de Santos. 

Já que hoje (16 de agosto) é o dia do Centro de Santos, o Juicy Santos vai te explicar essa e outras curiosidades sobre o tradicional bairro da cidade.

Você conhece a história do Centro de Santos? Independentemente da resposta, leia e (re) descubra o local.

A história do Centro de Santos

www.juicysantos.com.br - A história do Centro de Santos

Primeiramente, vamos a uma explicação rápida sobre o dia do Centro de Santos. De acordo com registros, em 1857, o dia 16 de agosto marcou o primeiro número do periódico O Comercial em Santos. A publicação em questão tinha como linha editorial a preocupação com o comércio e com o Centro Histórico de Santos. Por isso, a data foi escolhida anos mais tarde, em 2000, para representar o dia do bairro.

Dito isso, vamos à história do bairro onde a cidade nasceu. E essa afirmação não é um exagero, porque este foi o primeiro bairro de Santos! Por isso, em um roteiro rápido pelo Centro de Santos é possível caminhar por endereços que presenciaram momentos históricos da cidade e do país.

O início do Centro de Santos

O marco de fundação do bairro e, consecutivamente, da cidade é o Outeiro de Santa Catarina, onde atualmente fica a sede da Fundação Arquivo e Memória de Santos (Fams). A construção data do século XVI, mais precisamente 1532, por Luis Góis e sua esposa, Catarina de Aguillar. O casal ergueu a primeira capela da cidade e também a casa onde moravam. Brás Cubas foi um dos primeiros vizinhos. E, em seguida, outras casas surgiram no entorno, fazendo o local se tornar uma pequena vila e, logo depois, a cidade de Santos. 

O processo de desenvolvimento local aconteceu de forma lenta. Porém, houve um avanço considerável entre os anos de 1867 e 1967, com a inauguração da ferrovia São Paulo Railway e também o boom do comércio do café. Boa parte do patrimônio histórico do bairro foi construído neste período.

Conheça a importância do café para a história de Santos

Construções que contam a história do Centro de Santos

  • Casa de Frontaria Azulejada
  • Casarões do Valongo
  • Conjunto do Carmo
  • Igrejas do Valongo, Carmo e Rosário
  • Monte Serrat
  • Museu do Café
  • Outeiro de Santa Catarina
  • Palácio José Bonifácio
  • Pantheon dos Andradas
  • Rua XV de Novembro
  • Teatro Coliseu de Santos
  • Teatro Guarany

Uma forma de conhecer boa parte destes locais é fazer o passeio de bonde em Santos. Este é, inclusive, um dos programas mais procurados por turistas e locais nesta região.

Deterioração do Centro de Santos e uma nova vida

Está se perguntando em qual momento a história do Centro de Santos mudou e ele deixou de ser o bairro da elite? Calma, a gente chega lá! Depois de 100 anos de crescimento acelerado, o bairro passou por uma crise. Afinal, com a Primeira Guerra Mundial, a exportação de café diminuiu.

Então, o desenvolvimento comercial de Santos se voltou para outras regiões da cidade, como a orla, por exemplo.

Descubra a ligação entre Santos e febre amarela

Porém, vale dizer que essa mudança de região contribuiu como um dos fatores que garantiu a preservação de casarões e palácios construídos na era áurea do café. E outro detalhe: nem todo mundo foi embora. Muitas pessoas acreditaram – e ainda acreditam diariamente – no poder do Centro Histórico e continuaram por lá ou até abriram seus negócios mesmo depois de o Gonzaga se tornar um centro comercial.

Personagens do Centro de Santos

Para a felicidade dessa galera, nos últimos anos o Centro Histórico tem recebido maior atenção do poder público. Tudo começou com o Alegra Centro, nos idos de 2000 e, em menor ou maior intensidade, continuou nos governos seguintes.

Por isso, eventos passaram a ser comuns no bairro – como o Santos Café e o Santos Geek, por exemplo, além de shows e outras iniciativas. Também há incentivos fiscais para a instalação de novos empreendimentos na região e o bairro é constantemente usado para gravações de filmes, propagandas e até novelas.

Em resumo: a história do Centro de Santos é cheia de altos e baixos, como toda boa história deve ser. E, seja chamado de cidade ou Centro Histórico, a região tem um charme incrível e ainda é uma das favoritas para compras, sessões de fotos e turismo.

Vida longa ao Centro Histórico 🙂

* Com informações de Novo Milênio, FAMS e Viva Santos.