Flávia Saad
Texto porFlávia Saad
38 anos - Santos (SP)

Pesquisa com 2000 caiçaras e tendências para comércios e restaurantes no pós-pandemia

  • 1
    Share

O que você pensa sobre a retomada da economia em Santos após a quarentena? E como seus hábitos de consumo mudaram depois da pandemia? 

Os desafios socioeconômicos impostos por uma situação totalmente nova e assustadora estão em pauta diariamente aqui no Juicy Santos. E, claro, nas suas redes sociais, grupos do Whatsapp e nos noticiários. Crianças sem aulas, eventos sociais cancelados e uma série de consequências ainda desconhecidas que vão levar um tempo pra aparecer.

Tudo isso pegou a gente – e os empreendedores de Santos, de todo o Brasil e do mundo – de surpresa. Nas nossas vidas privadas e públicas. E, em quase 3 meses, a curva do coronavírus não achatou. Mas a nossa renda, sim.

Com essa motivação, decidimos perguntar aos nossos leitores como eles se sentem em relação a esse suposto cenário, em relação à reabertura de comércios e restaurantes no pós-pandemia.

Clique aqui para ver a pesquisa Tendências para a retomada do comércio, bares e restaurantes na Baixada Santista

www.juicysantos.com.br - mulher tirando chope para mostrar a opinião dos santistas e moradores da baixada santista Pesquisa com 2000 caiçaras e tendências para comércios e restaurantes no pós-pandemia

A pesquisa sobre tendências para comércios e restaurantes no pós-pandemia

O Juicy Santos fez um levantamento sobre o comportamento dos moradores da Baixada Santista perante uma possível retomada do comércio, bares e restaurantes após o isolamento social.

Entre os dias 19 e 24 de maio, recebemos 2.000 respostas de pessoas das 9 cidade da Baixada Santista.

A gente vem falando muito aqui no Juicy Santos sobre como é importante, além de as autoridades tomarem as medidas necessárias, cada um fazer a sua parte para que a vida volte a uma relativa normalidade em breve.

Assim, apontamos aqui alguns dados interessantes sobre as perspectivas de volta de estabelecimentos comerciais após a quarentena.

Delivery em alta

Um dos pontos que chama a atenção é que o delivery continuará presente na vida das pessoas mesmo quando o comércio reabrir.

Mesmo após a reabertura de bares e restaurantes, 49,6% dos pesquisados afirmou que seguirá consumindo delivery na mesma intensidade que estava durante o isolamento social.

Pouco mais de 1/4 dos entrevistados diz que vai comer na rua assim que os bares e restaurantes voltarem a funcionar; 1/4 não sabe ainda como será.

Como ficam as visitas?

Quem comemorou aniversário ou outra data na quarentena precisou lançar mão da tecnologia pra estar junto nesse momento. E quando isso vai acabar? Não sabemos.

Mais da metade dos entrevistados irá reencontrar familiares e amigos em casa ou farão visitas quando acabar a orientação de isolamento. E 33% se sentem seguros para fazer reuniões em um bar ou restaurante.

Medo do que vem por aí

Precisamos falar do elefante na sala.

Se a quarentena chegasse ao fim hoje e os participantes se encontrassem em um ambiente de aglomeração, em um bar, restaurante ou evento, isso provocaria pensamentos negativos. Na pesquisa, 58,9% informou que teria medo sobre o futuro. Apenas 24,6% comemoraria esse cenário como sendo o retorno da vida normal.

www.juicysantos.com.br - como será a retomada do comércio e restaurantes no pós-pandemia

Compras? Só mais tarde

Falando sobre compras em geral, em shoppings e comércios de rua, se a quarentena se encerrasse e esses locais abrissem as portas como antes, apenas 16% dos participantes frequentaria esses espaços nos próximos 30 dias.

A maioria afirma que só visitaria uma loja caso realmente precisasse de algo. De acordo com as respostas, 19,9% afirma que continuará usando alternativas via delivery e e-commerce.

Baixe a pesquisa completa sobre a retomada do comércio na Baixada Santista após o COVID19

No documento, também está disponível uma lista de tendências de consumo e exemplos de novos modelos de negócio para o pós-pandemia.

Quando vão acabar as restrições na quarentena em Santos e região?

Na última semana de maio, autoridades estaduais e dos municípios da Baixada Santista bateram cabeça sobre a reabertura gradual de comércios e serviços.

O governo de São Paulo considera a BS uma das regiões de alerta máximo no estado. Os prefeitos locais questionaram essa medida e pediram a revisão desse índice. Não foram atendidos. Portanto, Santos e as demais cidades continuam em alerta vermelho. 

A cada 7 e 15 dias, a situação será reavaliada e, quem sabe, flexibilizada. No entanto, continua a dúvida sobre quando e como isso acontecerá.

Em Santos, há um plano de reabertura já sistematizado. Além de as autoridades fazerem sua parte, a população precisa ajudar nessa mobilização ficando em casa e respeitando o uso de máscaras de proteção.