Victória Silva
Texto porVictória Silva
Jornalista, 23 anos - Santos

Muretas de Santos: tudo sobre o ícone da cidade

  • 1.3K
    Shares

Em uma tarde de novembro de 2017, Joanna Flora eternizou na pele as muretas de Santos.

No mesmo dia, um casal assistiu ao pôr-do-sol apoiado nelas, na Ponta da Praia. Noutro canto da cidade, um grupo de turistas registrava a primeira vez que a mais nova integrante da família iria ver o mar. As muretas, é claro, também estiveram presentes nesse momento.

Isso porque as muretas se tornaram o símbolo maior de Santos.

E, como tal, são facilmente encontradas pela cidade. Em diferentes tamanhos, materiais e para várias finalidades – desde guarda-corpos (função original) até tatuagens, joias, as camisetas do Juicy Santos e souvenirs da cidade. Podemos dizer que o conjunto de um círculo e dois traços está para Santos como o desenho de ondas no calçadão de Copacabana está para o Rio de Janeiro. Ou como a fita do Senhor do Bomfim está para Salvador.

Mas, por acaso você sabe como as muretas de Santos surgiram e ganharam os corações santistas?

www.juicysantos.com.br - muretas de santos e chapéu de sol no fim de tarde - foto: antônio filhoFoto: Antônio Filho

Dossiê das muretas de Santos

As primeiras muretas

Há 74 anos, ninguém imaginava que as muretas de Santos teriam esse efeito viral.

Aliás, o cenário da época era bem turbulento: de um lado, os efeitos da quebra da bolsa de Nova York e do outro, o início daquilo que se tornaria a Segunda Guerra Mundial.

Se você está se perguntando o que os eventos têm de ligação com Santos, a resposta é simples.

A decadência do comércio de café e também a baixa nos movimentos do porto afetaram – e muito – a cidade. Em outras palavras, as duas atividades que moviam a economia de Santos estavam em crise e era preciso se reinventar. Ao mesmo tempo, o turismo nacional ganhava força – já que a instabilidade estava instaurada no exterior e os automóveis estavam se popularizando por aqui.

Deste modo, o poder público começou a planejar avanços urbanísticos em toda a orla da cidade. O objetivo: estimular o turismo em Santos.

E é exatamente neste contexto que as muretas começaram a ser pensadas.

O ano era 1941. As autoridades desejavam abrir uma avenida na Ponta da Praia. Para tal, seria necessário construir um muro para segurar o avanço da maré. Já que a intenção era atrair gente pra cá, o muro em questão precisava de um elemento decorativo.

“O projeto foi assinado por Carlos Lang, chefe da Diretoria de Obras da Prefeitura de Santos à época. Mas não foi ele quem desenhou as muretas. Diz a lenda que um funcionário comum fez o projeto, porém não existem registros contendo seu nome”, explica o jornalista Sergio Willians, do site Memória Santista.

As muretas da Ponta da Praia foram as primeiras entregues, em 1945. A empresa responsável, a O. Ribeiro e Cia., venceu uma concorrência pública. E o valor do nascimento do símbolo de Santos foi CR$ 379.024,00 (cerca de R$ 3 milhões em cifras atuais).

Como nascem as muretas de Santos

Atualmente, elas estão não só na Ponta da Praia, mas em todos os cantos da cidade.

E você já se perguntou como nascem as muretas de Santos?

Pois o Juicy Santos foi descobrir para mostrar aqui.

www.juicysantos.com.br - como é feita a mureta de santos

O setor responsável por fazer as muretas dos canais de Santos se chama Artefatos e pertence à Secretaria de Serviços Públicos da Prefeitura Municipal. Lá também são confeccionadas as bocas de lobo, tampas de bueiros e caixas de passagens elétricas subterrâneas. O trabalho da equipe de 4 pessoas se espalha pelas ruas de Santos – porém, a estrela é mesmo a mureta branca de design minimalista.

Fazendo as muretas

O “esqueleto” das muretas surge a partir de um gabarito (patenteado pela cidade de Santos) de ferro. Ele serve como base para o concreto e precisa ser trocado de tempos em tempos, por conta da maresia que tende a enferrujar o material.

O armador Leonardo Fagundes de Souza explica que a vida útil delas depende de onde estão localizadas: o concreto armado (que leva esse nome por ter o ferro sustentando o concreto) pode durar mais ou menos se ela ficar mais perto ou mais longe do mar.

www.juicysantos.com.br - oficina das muretas de santos no valongo

Segundo o pedreiro Micael Guimarães da Silva, as medidas padrão de cada uma das peças são 52 cm de altura, 7,5 cm de espessura e 1,10 de comprimento. Cada item usa um único vergalhão de 12 metros de ferro.

Depois de preparado o concreto com areia, cimento e pedra, passa-se óleo na forma antes de colocar o material. Do molde ao acabamento final em 20 minutos, está pronta a mureta. Na seção de Artefatos, existem cerca de 20 muretas em estoque diariamente para suprir demandas emergenciais, como ressacas ou quebras acidentais.

www.juicysantos.com.br - muretas de santos antes de serem pintadas

Uma curiosidade: a mureta de Santos nasce cinza. Ela ganha sua típica cor branca apenas depois de instalada, pois a pintura acontece apenas no local.

De proteção a símbolo da cidade

Depois de todo esse processo, as muretas (que têm fortes influências do movimento art déco) vão para os mais variados endereços da cidade. Ninguém sabe ao certo em que momento elas se tornaram um símbolo de Santos, mas não há dúvidas do amor que a gente sente por elas. Afinal de contas, além das muretas tradicionais de concreto que nós conhecemos, a produção também passou a confeccionar o mesmo formato em alumínio para alguns locais da cidade.

E você sabia que as muretas começaram a ser chamadas de mureta dos canais? Isso aconteceu porque elas estão na ponteira de todos os canais de Santos e rendem fotos lindas em todos eles. Atualmente, é fácil encontrar as muretas de Santos em vários locais. Alguns deles são:

  • Orla da Ponta da Praia
  • Ponte Edgard Perdigão
  • Quebra Mar
  • Em todos os canais
  • Jardim Botânico

Além disso, a coleção da cidade também conta com 10 muretas gigantes de 1,60 metro. As obras fazem parte do projeto Muretas na Cidade, que as transforma em uma tela em branco – literalmente – para artistas plásticos da região. Depois de pintadas pelos escolhidos de cada ano, as muretas são distribuídas pela orla. Em seguida, vão para outros locais, como o jardim da Pinacoteca, por exemplo.

A exposição costuma ter início durante a programação do Setembro Cultural – que dá às boas-vindas à primavera.

Prova de amor à cidade

Diferentemente das obras de arte em forma de mureta, a arte que marcou pra sempre o símbolo de Santos no corpo de Joanna Flora é bem pequena. O desenho fica no calcanhar do pé esquerdo, mesmo lado do corpo onde fica o coração. Segundo ela, a ideia foi tatuar o pé por ser uma parte que toca o chão, pensando na metáfora com sua raiz.

www.juicysantos.com.br - tatuagempequena da mureta de santos no pé

“Eu sou completamente apaixonada por Santos. Às vezes, é até difícil explicar como é viver e estar em Santos para quem não conhece ou nunca viveu aqui”, comenta.

Ainda de acordo com ela, a tatuagem da mureta não foi muito planejada.

“Fui com uma amigas fazer um outro desenho, o tatuador disse que conseguia fazer uma segunda tattoo (desde que pequena) com o material que ia sobrar. Na hora pensei que seria perfeito eternizar o desenho das muretas”.

Vivendo em São Paulo há cerca de 6 meses, Joanna conta que precisa vir a Santos ao menos duas vezes por mês. As visitas servem para se reencontrar, renovar as energias e ficar mais focada. Mas, se não for possível descer a serra, ela diz que olhar a tatuagem a faz se sentir em casa.

“A mureta, para mim, é sinônimo de casa. É uma sensação parecida com a de ver o monumento do peixe, quando estamos chegando à cidade. É saber que cheguei e estou no meu lugar”.