Victória Silva
Texto porVictória Silva
Jornalista, 23 anos - Santos

Quais são os chefs e restaurantes que fazem ferver a gastronomia de Santos

Você quer comer em Santos e não sabe onde ir?

Calma. Não vai sair dizendo a gastronomia de Santos é pobre e que não há opções, pois essa afirmação é quase uma heresia. Segundo dados do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (SinHoRes), há cerca de 16 mil restaurantes na região de Santos. Em outras palavras, é impossível que não exista ao menos um lugar onde você vai comer bem e ir embora feliz.

Falar sobre gastronomia é algo bastante comum aqui no Juicy Santos. No entanto, hoje nós vamos mais a fundo e desvendar a gastronomia de Santos com você.

Se estiver com fome, provavelmente vai ficar com água na boca. E, se não está, é capaz que seu cérebro esqueça e seu estômago comece a roncar de repente. O bom é que, ao fim da leitura, você vai saber exatamente onde ir para resolver esse problema.

A gastronomia de Santos é incrível e nós vamos provar

Tolentino Filgueiras e a gastronomia de Santos

É impossível falar sobre a gastronomia de Santos sem citar a Rua Tolentino Filgueiras.

A rua do Gonzaga tem seis quarteirões e abriga mais de 14 estabelecimentos. Por lá, é possível experimentar desde comida mexicana até pratos da culinária italiana. Além disso, também é fácil encontrar drinks incríveis e hambúrgueres deliciosos. Tamanha variedade fez a Tolentino ser considerada a oficialmente a Rua Gastronômica de Santos, de acordo com a lei municipal 3417/2018.

“Cada vez que temos um restaurante novo na rua os mais antigos sentem a movimentação na rua. Novos clientes… No fundo, os restaurantes não são concorrentes. Nós temos encontros e reuniões para entender o que precisamos melhorar na Tolentino”, comenta Vivian Brum, proprietária no China In Box.

Segundo ela, os donos de restaurantes, junto ao poder público, estão estudando formas de deixar a rua com cara de gastronômica. Além disso, também é um desejo que esse endereço se torne um ponto turístico.

Novidades que você precisa conhecer

Entre as novidades mais recentes de Santos estão, por exemplo, casas temáticas e também o primeiro dining club da cidade, o Goat. O restaurante/barra/balada fica Tolentino, assim como a hamburgueria Bullguer – franquia brasileira com mais de 10 lojas pelo país. Por lá, os sanduíches custam entre R$18 a R$25. O cardápio tem oito sugestões de sanduíches – e uma versão especial a cada dois meses.

juicysantos.com.br - gastronomia de santos

Ali pertinho, na Marechal Deodoro, fica o Da Lapa Botequim, que traz os ares do Rio de Janeiro para o coração do Gonzaga.

As novidades também estão fora do eixo Gonzaga. Na Conselheiro Nébias, por exemplo, está a recém-inaugurada unidade do Madero em Santos.

E, ali bem perto, na Rua Lobo Viana, a Seven Kings arrasta um séquito de súditos daqui e de outras cidades em busca do Santo Graal dos hambúrgueres, o Camemburguer. Criado por Fernando Russell, o prato foi considerado, em 2017, o melhor do Brasil no programa Mais Você.

Do moderno ao clássico

Quem prefere casas mais clássicas também tem vez e vai ir embora satisfeito. A equipe do Juicy Santos esteve recentemente no Restaurante São Paulo e pode afirmar sem medo: os 70 anos de tradição estão no tempero e no atendimento. Vale a pena em uma data especial e o seu pedido tem que ser a meca santista.

Para quem já esteve por lá, a visita vai funcionar como uma viagem no tempo.

Outro clássico santista é a o Almeida. O número 1 da Ana Costa existe desde 1932 e foi reduto de artistas e boêmios. A administração passou de pai para filho, mas uma coisa não mudou: o tempero. O cardápio tem mais de 100 prato, ou seja, é difícil conhecer todos para escolher o melhor.

“A meca do Almeida é sensacional, mas eu também amo o creme de cebola e o camarão. Frequento desde criança, mas ainda não consigo chegar e pedir o prato sem ficar na dúvida”, comenta Cíntia Almeida, cliente assídua da casa.

Outra pérola santista é o Café Carioca. Primeiramente, em 1939, o dono do melhor pudim de leite da vida ficava na Rua Dom Pedro II, mas não demorou para ser necessário expandir e o estabelecimento se mudou para o atual endereço, na Praça Mauá.

Não é exagerado dizer que a história do Carioca se confunde com a de Santos. Prova disso é que as paredes da casa são repletas de registros históricos. Além disso, também são exibidas fotos de visitas de políticos como, por exemplo, Getúlio Vargas, Jânio Quadros, Eurico Gaspar Dutra, João Goulart, Lula e o santista Mário Covas.

www.juicysantos.com.br - Pastel do Café Carioca

Por lá, a nossa indicação é o sanduíche de pernil ou então um dos pastéis. Para beber, mate com limão e de sobremesa o pudim de leite.

Pratas da casa que ganharam o Brasil

Numa cidade em que se consome tanta gastronomia, uma coisa é certa: também se formam bons cozinheiros. E. em Santos, é exatamente assim. Em 2015, assistimos o Masterchef na torcida por Raul Lemos, primeiro santista em um reality deste tipo.

Desde então não houve mais intervalo, pois sempre tem um #zerotreze mostrando nosso tempero para o Brasil.

Também no Masterchef, mas na edição de profissionais, foram dois santistas. Primeiramente, Dário Costa e, logo em seguida, Frank Bin.

www.juicysantos.com.br - polvo madê de dario costa

Atualmente, Costa comanda a cozinha do Madê Cozinha Autoral, restaurante que fica no Boqueirão. Assim como no programa, o chef arrasa em pratos com peixes e frutos do mar. Já Frank atua em uma casa em São Paulo. Além disso, é o único brasileiro na competição global San Pellegrino Young Chef.

“A regional da América Latina será em setembro, em Lima (Peru). Acredito que vamos nos enfrentar para sair um vencedor que irá para a grande final, em 2020, na Itália”, explica.

“O nível é muito alto, mas, consigo ter um trabalho linear no restaurante e nas competições”.

Já que o Masterchef não é a única competição de gastronomia na televisão brasileira, também não só por lá que tem chefs de Santos brilhando. A edição mais recente do Top Chef teve um gostinho especial, com a vitória de Giovanna Perrone. Para conseguir o título e também o prêmio, a santista precisou apresentar o melhor menu de sua vida. Foram duas entradas, dois pratos principais e duas sobremesas.

Antes do programa da Record, Giovanna já havia vencido o Talentos da Gastronomia Nespresso. Além disso,  trabalhou em dois restaurantes com 3 estrelas Michelin na França.

Rick Zavala, que participou da primeira edição do Batalha de Confeiteiros, saiu de lá campeão. Atualmente, ele trabalha como decorador-chefe da Carlo’s Bakery Brasil de São Paulo.

No Boqueirão, quem visita o recém-aberto Yolo Cozinha Contemporânea pode experimentar a comida do vice-campeão do The Taste Brasil (GNT), Bruno Justo. Falamos um pouco sobre a experiência do local aqui neste post. Ele prioriza o consumo consciente e os ingredientes locais. Amamos!

Entre as favoritas da equipe Juicy Santos, tem ainda Maísa Campos, que fez parte da primeira temporada do Cozinheiros em Ação (GNT). Advogada de formação, ela encontrou nas panelas seu verdadeiro amor. Hoje, está à frente da Casa 147, lugar delicioso onde você não só pode levar pra casa os preparos de Maísa, como também aprender com ela a cozinhar em cursos livres e bem descontraídos para cozinheiros iniciantes ou avançados.

Também entra nessa lista Paula Daidone, que adotou Santos como seu lar e é uma das finalistas do concurso que irá premiar o melhor profissional a serviço do vinho em Portugal. Aliás, a santista é a única estrangeira na lista.

Ofélia, na vanguarda das delícias na TV

Uma curiosidade: a pioneira da gastronomia na televisão brasileira tem uma relação íntima com a cidade de Santos.

Nascida na Itália, mas radicada em Santos, Ofélia Anunciato fez história ao aparecer em 1958 no primeiro programa de culinária do país. Depois de começar a carreira em uma emissora local, foi para São Paulo na Bandeirantes (atual Band) apresentar a Cozinha Maravilhosa da Ofélia, que durou 30 anos.

Seu filho, Rodrigo Anunciato, seguiu a profissão e também se tornou chef, criador do prato oficial da cidade (a Meca Santista) e professor de Gastronomia na Universidade Católica de Santos. E é sobre as escolas de gastronomia em Santos que falaremos a seguir.

Aprender a cozinhar em Santos

Se você quer entrar na lista de talentos da cozinha made in Santos, existem excelentes escolas de gastronomia em Santos. Aliás, boa parte dos chefs fazem sua formação por aqui mesmo. É possível estudar gastronomia como curso superior na São Judas – Campus Unimonte, na Universidade Católica de Santos (UniSantos) ou então na Universidade Metropolitana de Santos (Unimes). 

Em todas elas, o curso tem duração de 4 períodos, ou seja, dois anos. E aborda a parte técnica e prática da cozinha, além de panificação, confeitaria e cozinha clássica europeia.

Além das faculdades, também é possível fazer cursos técnicos e livres no Senac Santos. Por lá, a lista de possibilidades vai desde o básico em azeites até técnico em confeitaria, por exemplo. É preciso conferir no site quais as opções com matrículas abertas em cada época do ano. Por fim, o IGA oferece cursos de gastronomia e confeitaria e também várias opções de cursos curtinhos.