Victória Silva
Texto porVictória Silva
Jornalista, 24 anos - Santos

Fazer yoga em casa: por que a quarentena trouxe novos adeptos à atividade

  • 3
    Shares

Já é início da tarde de sexta-feira quando Beth Soares estende o tapetinho de yoga no centro da sala.

Poderia ser segunda, terça ou quarta-feira. Afinal, desde que a quarentena começou, todos os dias parecem praticamente iguais. Com exceção das sextas-feiras, quando acontecem as aulas online de yoga oferecidas gratuitamente pela Feira de Orgânicos da Aparecida. Às 16h30, a transmissão ao vivo, feita no YouTube Respiro Yoga Santos, já está conectada na TV.

É assim na casa de Beth e também de vários outros santistas.

Fazer yoga em casa é uma saída durante o isolamento

Desde que a reclusão passou a ser o novo normal no Brasil, o yoga se tornou uma das alternativas de atividade físicas mais buscadas online por quem quer manter a saúde em dia – um aumento de 50%, segundo números do Google. A busca vem tanto de quem já praticava a atividade, como no caso de Beth, ou então de iniciantes que descobriram agora os seus benefícios.

“O yoga é visto como algo que pode, ao mesmo tempo, acalmar e fortalecer. Isso provavelmente ajudou a aumentar as buscas”, comenta Gabriela Fernandes, uma das professoras do Respiro Yoga Santos.

Ela relata que, desde o início da quarentena, os novos alunos têm um perfil diferente. Agora, são pessoas em busca de cuidado de sua saúde de um modo mais global e não apenas quem não gosta de musculação.

Também há um benefício adicional, de acordo com os alunos: o fato de o yoga não demandar muito espaço. Empurrou o sofá ou afastou a mesa? Pronto, já dá para fazer os movimentos.

juicysantos.com.br - Fazer yoga em casa

E é exatamente assim que a atividade acontece na casa de Beth.

Enquanto ela se exercita na sala, o marido trabalha no escritório e evita transitar pelo cômodo ao lado. Além do tapetinho, a jornalista também usa almofadas, toalha e outros itens que fazem parte do dia-a-dia para acompanhar as aulas.

 “Deixo a persiana semiaberta, para a luz natural não incomodar muito. A Gabi, minha professora, tem uma voz bem suave e doce… O que ajuda a gente a se sentir em paz. Ao mesmo tempo, os movimentos, que misturam suavidade e força, vão criando um elo entre o corpo e a mente”, comenta Beth.

Aparecida Silva, que nunca tinha praticado yoga até então, segue basicamente o mesmo ritmo. O professor que a acompanhava na academia encontrou na modalidade uma maneira de a aluna continuar se exercitando no espaço limitado de seu apartamento.

E os benefícios de fazer yoga na pandemia foram perceptíveis

Apesar de frequentar a academia há anos, Aparecida diz que as aulas de yoga estão sendo uma redescoberta de seu corpo. Os movimentos, assistidos através de um aplicativo pelo professor, causam efeitos musculares tão poderosos quanto os pesos da academia. Mas, mais do que isso, as posturas de yoga ajudam a lidar com a incerteza desse período de pandemia.

“A prática regular de yoga tem efeitos positivos sobre a saúde como um todo, ou seja, em seus aspectos físicos, mentais, emocionais”, explica Karlla Murgeiro, também professora do Respiro Yoga Santos.

Segundo ela, a definição de asana (postura psicofísica do yoga) mais antiga de que se tem notícia não determina uma posição específica do corpo, mas sim, de duas qualidades: conforto e estabilidade. Que são os pilares trabalhados nas aulas.

Para Beth, que já praticava yoga antes da pandemia, esse é um instrumento de percepção.

De acordo com ela, a rotina acaba a fazendo negligenciar os sinais que o corpo me dá. Mas, durante as aulas de yoga, todos eles são ouvidos. Além disso, vira uma ferramenta de controle da ansiedade – que se tornou maior nos últimos três meses.

www.juicysantos.com.br - dicas para fazer yoga em casa durante o isolamento

Aula de yoga online

Assim como Beth, Liziane Liberato já era uma praticante de yoga antes da quarentena.

Desde 2018, quando ganhou um mês de aulas de presente de uma amiga, a atividade faz parte de seu dia-a-dia. Com a academia fechada, a prática ganhou um novo espaço: a varanda do apartamento.

“Inicialmente, eu fazia na sala, mas sempre havia algumas interrupções. Aí, mudei para a varanda, onde consigo maior tranquilidade e concentração”, comenta.

Para ela, a transição não foi difícil, pois já tinha o hábito de fazer yoga sozinha quando não conseguia ir à academia. Já para os professores, essa mudança trouxe alguns desafios.

Foi necessário, por exemplo, encontrar um aplicativo em que todos conseguissem se ver e ouvir de maneira clara. Caso contrário, as aulas poderiam não ser seguras e prazerosas como devem.

Antes de a rotina de posturas começar, as professores dão as instruções sobre itens que podem ajudar na prática da atividade. Além disso, a dupla oferece todo o suporte e ensina o passo a passo para usar o aplicativo no celular ou no computador.

Segundo elas, algumas famílias praticam juntas e relatam que isso ajuda a melhorar as relações.

Meditação pode ser um plus

Outra prática que ganhou evidência neste momento foi a meditação. O Zen App, por exemplo, teve um crescimento de 280% nas buscas por dicas de meditação.

Aparecida é uma das pessoas que fez download e usufrui do conteúdo gratuito.

“O momento que estamos vivendo é, para muitas pessoas, uma constante preocupação. E estar preocupado tem efeitos que prejudicam muito a nossa saúde e o nosso bem estar”, comenta Crica Wolthers, cofundador do aplicativo.

De acordo ele, a preocupação resulta em:

  • Liberação hormônios como, por exemplo, a adrenalina e cortisol na corrente sanguínea. Portanto, aumenta a frequência cardíaca e dificulta a respiração;
  • Prejuízo ao sistema imunológico, o que nos torna mais vulneráveis para doenças de todos os tipos;

Neste sentido, a medição ajuda a focar no momento presente de maneira clara. E, consecutivamente, evitar tais problemas. Aparecida diz que sentiu a diferença, principalmente ao combinar a meditação ao yoga.

Ainda não consegue meditar sozinha, mas com a ajuda das meditações guiadas, o caminho fica mais simples. Isso normalmente acontece no anoitecer, mas ela não tem certeza dos dias, já que eles são sempre parecidos.