Nathalia Ilovatte
Texto porNathalia Ilovatte

Dia Mundial do Meio Ambiente e a Segunda-feira Sem Carne

Hoje (05 de junho) é Dia Mundial do Meio Ambiente, e embora o tema deva ser pensado diariamente, este é um bom dia para adotar uma postura mais verde em algum aspecto da vida. Afinal, a gente adora marcar datas para as coisas. Segunda-feira é dia de começar a dieta, primeiro dia do mês é o melhor momento de entrar na academia, um dia depois do aniversário é hora de procurar novo emprego e assim nós vamos.

Mas vamos deixar o abraço nas árvores e todo aquele pansexualismo para o Serguei, já que há maneiras mais efetivas de demonstrarmos nosso afeto pela natureza.

Na revista Época deste final de semana, a matéria “Vai faltar comida?” explica que, com 7 bilhões de bocas na Terra, tá ficando difícil produzir alimento para todo mundo. Na verdade, muita gente já passa fome graças à má distribuição de alimentos (20% da população mundial é responsável pelo consumo de 80% dos recursos naturais), mas do jeito que a coisa vai, a água vai bater na bunda de quem até então tava se dando bem caso os fazendeiros não aumentem a produção de grãos em 60% até 2043. Parece tempo pra caramba daqui até lá mas, fazendo as contas, quem tem 23 anos hoje terá 55 e estará apenas na metade da vida.

De acordo com a matéria, a solução mais realista é aumentar o uso de fertilizantes e sementes transgênicas nas lavouras, mas há também uma outra ideia. Um biólogo de Harvard chamado Edward O. Wilson propõe (preparem-se para a polêmica) o vegetarianismo. De acordo com os estudos dele, a produção mundial de grãos alimenta 10 bilhões de indianos mas só 2,5 bilhões de americanos, já que indianos são predominantemente vegetarianos enquanto americanos amam uma vaquinha no prato.

Eu fui vegetariana por seis anos e recentemente traí o movimento. Posso afirmar: não é fácil. Principalmente para quem não nasceu com dons de Palmirinha e come muito na rua. Se eu tivesse ganhado um real cada vez que entrei em uma lanchonete, perguntei se havia alguma opção sem carne e ouvi “a coxinha é só de frango” como resposta, já tava vivendo de renda em Boca Ratón desde os 20 anos.  Isso sem falar nas surpresinhas que a gente encontra recheando massas, sanduíches e salgadinhos de festa de criança. E é uma merda você ir a um aniversário e ter que ficar se privando dos quitutes ou pedindo pra alguém experimentar antes de você pra te contar qual é o recheio. Sabe, eu só quero ser uma vegetariana feliz, não uma mártir do ambientalismo.

Sendo assim, não vou introduzir um discurso xiita sobre vegetarianismo porque além de chato, eu estou sem moral. Mas a gente pode tentar uma coisa. O Meatless Monday, ou Segunda-feira Sem Carne, é uma iniciativa que propõe que cada um tire a carne do cardápio por pelo menos um dia da semana. É pouco, bem pouco. Nem dói. E lentamente todo mundo vai descobrindo as comidinhas vegetarianas, novas opções vão surgindo por aí, e de repente já dá pra mudar pra dois dias sem carne, ou por que não três?

No site oficial da campanha tem receitas (em inglês) e a lista dos apoiadores. Entre eles estão Olivia Wilde, Padma Lakshmi do Top Chef, Kate Moss, Gwyneth Paltrow e até a Oprah Winfrey. E aí, quem vai abraçar a causa? E quem adotou outras atitudes sustentáveis no cotidiano?

Aqui, uma lista de restaurantes vegetarianos em Santos.