Luiz Gomes Otero
Texto porLuiz Gomes Otero

Status Quo segue em frente com Backbone

O novo álbum do Status Quo, Backbone, traz músicas ineditas mantendo a mesma característica de sonoridade que a banda tem produzido ao longo dos anos.

Liderado por Francis Rossi, único membro da formação original, o grupo investe no rock’n roll básico. E sem precisar apelar para os recursos de estúdio.

Desde a morte de Rick Parfitt, em 2016, os fãs aguardavam o que aconteceria nos anos seguintes. E Backbone acabou marcando uma nova era para a banda, que segue firme e forte na sua identidade.

Energia renovada no Status Quo

A banda se mostra energizada e otimista. Com dois novos membros, Richie Malone (guitarra rítmica) e Leon Cave (bateria), há juventude e vibração para equilibrar a experiência dos fiéis Francis Rossi, Andy Bown e John ‘Rhino’ Edwards.

Na prática, o Status Quo enfrenta a tarefa quase impossível de soar familiar aos fãs leais, ao mesmo tempo em que busca inovar, atualizar e progredir. Os puristas talvez nunca se sintam satisfeitos. Mas, ouvindo bem, é difícil ver alguém se enganando demais com Backbone.

A praia do Status Quo é esse rock’roll com forte inspiração de Chuck Berry. E essa referência fica ainda mais evidente nesse novo trabalho. Os riffs de guitarra rolam soltos em faixas como Cut Me Some Slack, Backing Off e Waiting For A Woman, só para citar alguns exemplos. Todas as demais faixas estão niveladas dentro do rock’n roll básico. Honestidade no som e tradição: é o que você vai encontrar em Backbone.

É bem provável que este lançamento atraia alguns novos fãs. Em um show ao vivo, creio que eles ainda se manterão ao lado dos clássicos da banda. Para os fãs com mentes mais abertas, o repertório de Backbone representará um retorno bem-vindo.

Ouça as principais faixas de Backbone, do Status Quo