Victória Silva
Texto porVictória Silva
Jornalista, 25 anos - Santos

Medo Azul: Maria Sil e Socorro Lira cantam sobre cotidiano pandêmico

  • 1
    Share

Como você passou os últimos 18 meses?

Maria Sil, cantora de São Vicente, está em casa desde que a pandemia teve início. De lá, aprendeu a fazer arte a distância. O documentário Mãe Trans, por exemplo, está sendo captado deste modo. Assim como sua nova música, Medo Azul.

A canção, lançada com videoclipe, é uma parceria com a cantora e compositora Socorro Lira. E, em resumo, transforma em arte a angústia que temos vivido.

“Comecei a compor por volta de junho de 2020, no meio de uma das ondas muito graves da pandemia”, conta Maria.

juicysantos.com.br - Medo Azul

Com uma primeira versão da letra e da melodia pronta, a vicentina decidiu pedir uma opinião a Socorro Lira, de quem é muito fã. Como resposta, recebeu o que ela chama de uma versão elevada do trabalho.

Ouça Medo Azul

Mais do que a aprovação da ídola, Maria conseguiu uma música em conjunto. Além delas, Medo Azul também teve as seguintes profissionais envolvidas:

  • Amanda Gasparetto (produção)
  • Juliana Sou´za (participação nos vocais)
  • Simone Sou (bateria)
  • Stephanie Borgani (piano)

Apesar do tamanho da equipe, nenhuma aglomeração foi necessária. Pois tanto Maria quanto as demais integrantes da equipe aprenderam a lidar com o “novo normal”.

“A música foi praticamente toda gravada à distância. Só eu e a Juliana que fizemos captação de voz num estúdio. O restante foi feito com cada uma em sua casa”.

O vídeo manifesto, dirigido por Eduardo Ferreira e produzido pela Orvalho Filmes, também foi feito com as artistas em suas casas. Clique aqui!

Por que Medo Azul?

De acordo com Maria, o título da música é inspirado na expressão francesa ”une peur bleue” que significa um medo paralisante. A expressão surgiu na França no séc. XIX em decorrência da epidemia de Cólera que assombrou a Europa nesta época.

O cenário de vacinação lenta e a marca assustadora de mais de 500 mil mortes em decorrência da COVID-19 é assustador o suficiente para dizer que estamos no meio de um medo paralisante, certo?

Para a cantora, o trabalho é uma homenagem à memória de todas as vítimas da Covid-19 no Brasil. Em especial para sua mãe, a poeta Vani dos Santos, morta pela COVID-19 em maio deste ano.