Luiz Gomes Otero
Texto porLuiz Gomes Otero

Coletânea reúne produção solo de Robert Plant

Robert Plant tem sua carreira solo revisitada com o lançamento da coletânea Digging Deep, que reúne os principais singles que ele produziu ao longo da carreira pós-Led Zeppelin. E a amostra de canções apresenta bons momentos do vocalista, cuja voz serviu de inspiração e continua sendo referência na história do rock.


A seleção parte do primeiro single – a ótima Burning Down One Side, com participação de Phil Collins na bateria. Passa pelo hit do segundo disco, Big Log e por uma série de canções que marcaram a sua trajetória, como Hurting King (com um riff à la Led Zeppelin), Tie Dye On The Highway e 29 Palms.

Há momentos um pouco mais experimentais, como em Tin Pan Valley e Song To The Siren.


Senti falta apenas das ótimas releituras de If I Were a Carpenter e Bluebirds Over The Mountain, ambas incluídas em seus álbuns solo e que também foram singles de divulgação em suas respectivas épocas. Creio que a intenção foi mostrar mais as canções de sua autoria nessa seleção.

Claro que a sua produção solo não se iguala ao que ele fez com o Led Zeppelin. E tenho certeza que nunca houve esse tipo de pretensão por parte dele.

O fato é que Plant mostra que sempre é possível explorar outras possibilidades como intérprete sem precisar repetir fórmulas já conhecidas.