Luiz Gomes Otero
Texto porLuiz Gomes Otero

Blondie, para sempre new wave

A banda americana Blondie pode ser considerada um ícone dos anos 1980. Ela se encaixa tanto no movimento new wave como na seara do pop rock alternativo. E é por esse caminho, que trilha há quase 40 anos, que a banda chega ao seu 11º disco, chamado Pollinator.

blondie5
A banda segue com a vocalista Debbie Harry e Chris Stein na guitarra e os demais integrantes originais.

De quebra, nesse novo disco, contam com a participação especial de Joan Jett (outro ícone dos anos 80) na primeira faixa, a enérgica Doom Or Destiny. Depois a banda engata um arranjo pop dançante na ótima Long Time.

Alredy Naked tem um clima bem oitentista com o vocal sempre eficaz de Debbie. E esse clima dançante com alto astral retorna na divertida faixa Fun.

blondie6
A canção My Monster foi composta para eles por Johnny Marr, um dos integrantes do The Smiths. E Marr parece ter captado o feeling do Blondie. Debbie se deu muito bem cantando essa canção.

Na balada When I Gave Up on You, há um certo clima melancólico no arranjo, sempre com a característica de som que marcou a banda ao longo dos anos.

blondie2

Para um cara que acompanha a carreira do Blondie há tempos, como eu, fica difícil eleger uma faixa como a melhor do disco. Todas estão no mesmo nível de qualidade e têm tudo para agradar tanto os fãs mais antigos como outros que curtem o indie rock atual.

É um tipo de som que traz as melhores referências do grupo de Debbie Harry e as melhora com toques de contemporaneidade. Diria até que pode ser ouvido em qualquer época, porque ainda diverte o ouvinte. E, para nossa sorte, a new wave é mesmo eterna.