Victória Silva
Texto porVictória Silva
Jornalista, 23 anos - Santos

Você só dá aula? e a realidade nas escolas

Há dois anos uma pesquisa, divulgada pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) indicou o Brasil como o país com o maior número de casos de violência contra professores.

Segundo os dados, 12,5% dos professores entrevistados disseram ser vítimas de agressões verbais ou intimidações, pelo menos uma vez por semana. Essa média foi de 3,4% entre os demais países.

Aqui na região, as coisas não são muito diferentes.

Para provar isso, uma turma de cineastas decidiu criar um documentário com professores da rede pública e privada que, em algum momento, passaram por agressões, estresse ou sobrecarga emocional.

Você só dá aula?Imagem: Divulgação

Você Só Dá Aula? começou a ser gravado em agosto, pelo Coletivo Noise (lá de São Vicente), e estreia em 15 de outubro, Dia do Professor, no MISS.

“A situação que os professores enfrentam em sala de aula reflete diretamente na qualidade do ensino. A estrutura das escolas, as metodologias de ensino e a superlotação enfrentada em muitas classes, contribuem para o alto índice de afastamento dos professores por problemas médicos, por exemplo”, comenta a diretora e roteirista do curtametragem Mariana Sposati, que também é pedagoga.

Além dos depoimentos de professores que ainda estão em sala de aula, o documentário traz declarações de profissionais que não aguentaram o dia a dia nas escolas e se afastaram da função. Atuantes da área da saúde completam o roteiro e dão embasamento técnico ao que é dito.

Financiamento coletivo

Para que Você só dá aula? alcance seu objetivo, a equipe envolvida conta com a ajuda de simpatizantes que podem colaborar com a campanha de financiamento coletivo. As arrecadações são feitas no site Kickante, com valores a partir de R$ 15.

O orçamento da produção é de R$ 9.215, valor necessário para equipamentos, alimentação, deslocamento e ajuda de custa simbólica para a equipe envolvida. Segundo Fabiano Keller, também diretor da produção, se o valor fosse comercial, seria muito maior.

Ficou interessado em ajudar? É só acessar o financiamento desse pessoal e escolher o valor, todos eles têm recompensas!

Para ficar por dentro da produção do documentário, basta curtir a página no Facebook.