Dicas para fazer compras na Rua 25 de Março

Nathalia Ilovatte

02 de janeiro de 2012

Nathalia Ilovatte

Veja o perfil completo >

Agora que você já comprou os presentes de Natal, já trocou os presentes de Natal e já não tem mais um puto na conta bancária, chego eu com as minhas dicas de compras na Rua 25 de Março. Porque timing eu realmente não encontrei por lá.

Mas não se preocupe, amigo muambeiro, porque logo menos vem o Carnaval, e aí já é Páscoa, logo depois tem o Dia dos Namorados e tudo isso pede fantasias, decorações, presentes e um baque na sua vida financeira. Ou seja, oportunidade para puxar o carrinho de feira lá pros arredores do Metrô São Bento é o que não vai faltar.

 

A 25 de março é uma rua localizada no centro de São Paulo que reúne lojas de utensílios domésticos, artigos para festas, objetos de decoração, bijuterias e alguns eletrônicos a preços relativamente baixos, pois é onde lojistas de todo o Brasil abastecem os respectivos estoques. Portanto, se você quer comprar de tecido a aparador de pelos do nariz (ewww!), lá é o lugar.

Mas antes que você se monte de it girl e saia às compras achando que 25 de março é lugar de fazer terapia, eu preciso te contar uma coisa. Aquela rua é cheia de milhões de pessoas que te dão sacoladas e bundadas, gritam na sua orelha, colocam massageador na sua cabeça, roubam sua carteira e derrubam sorvete na sua roupa, portanto, preste atenção:

- Use roupas confortáveis, como se você fosse à academia. Ninguém ali é elegante e não há sequer espaço para que visualizem seu outfit, então, sem estresse com o visual;

- Leve uma ecobag grande ou uma bolsa inception. Você vai amá-la quando tiver colecionado dezenas de sacolinhas;

- Abrace sua bolsa como se fosse um bebê e use a mochila virada para frente. Fica bem bonito and seguro;

- Tenha tempo livre para pesquisar. Se possível, reserve um dia todo para a visita a essa famigerada rua. Mas, se não puder ir durante a semana, chegue bem cedo, porque as lojas fecham na hora do almoço aos sábados;

- Antes de comprar, visite todas as lojas da rua que vendem aquilo que lhe interessa e veja os preços. Eles variam assustadoramente. Enquanto um colar custa R$ 30 em uma loja, a outra vende por R$ 10. Minha sugestão é que você delimite um ponto de início e outro de término. Primeiro você vai, observando tudo, batendo perna nas lojas. Depois você volta, comprando aquilo que vale a pena;

- Não vá de ressaca, com enxaqueca ou qualquer coisa que possa ser agravada ao mínimo sinal de irritação. Porque a 25 de março é uma reunião de gente irritante. Vendedores de um brinquedo que te deixa com voz de criança (pra que alguém quer isso?), gente que esbarra em você e bandas que tocam “Ai, se eu te pego” fazem parte do ambiente;

- Cuidado com o rapa. Quando alguém grita “olha o raaaapa” lá na frente, todo mundo sai catando tudo o que vê pela frente e corre, porque a polícia vem aí fazendo o rapa na mercadoria dos ambulantes. Aí é um salve-se quem puder. Já vi uma mulher ser atropelada pelo carrinho do suco de laranja;

- Leve dinheiro, porque a maioria dos lugares não aceita cartão. E se o dinheiro estiver trocado, melhor ainda, pois agiliza as compras. Mas lembre-se de guardar as notas em vários lugares. Um pouquinho no bolso, um pouquinho na carteira… Porque nunca se sabe;

- Bateu aquela fome? Vale a pena visitar o Mercado Municipal. Fica a duas quadras da 25 e tem pasteis e sanduíches de mortadela bem famosos, além de doces maravilhosos e turistas do mundo todo precisando de ajuda. É sempre divertido;

- Quer ir ao banheiro? Meus pêsames. Nem o Mercadão, que é ponto turístico, tem banheiro limpo e organizado. Mas ainda é o melhor. O do McDonald’s também está sempre deprimente;

Veja o mapa da região da Rua 25 de Março.