Victória Silva
Texto porVictória Silva
Jornalista, 24 anos - Santos

Cortiços e periferias contra o coronavírus – como você pode ajudar

Você está de quarentena e tem álcool gel ou sabonete líquido em todos os cantos da casa?

Pois pode se considerar uma pessoa privilegiada. Nem todo mundo pode ficar em casa e muita gente não tem acesso a itens básicos de higiene para se proteger durante essa pandemia. E isso não acontece do outro lado do país, tá? É aqui em Santos mesmo.

Dois projetos perceberam isso e estão atuando para ajudar essas pessoas. A sua colaboração fará toda a diferença nestes trabalhos. Confira como ajudar e dê o seu apoio 🙂

www.juicysantos.com.br - coronavírus na periferia em santos

Cortiços e periferias contra o coronavírus

1. Cortiços contra o corona

A Associação dos Moradores do Cortiço de Santos está pedindo doação de kits de higiene ou então de qualquer valor que possa ajudar. As distribuições são feitas entre os moradores do bairro e também as pessoas em situação de rua.

Samara Faustino (da ACC), Bete Nagô, Ariane Clímaco e Maria Sil estão articulando o projeto.

Tudo porque essa população não tem nem o básico para fazer a higiene pessoal.

Na primeira ação, o grupo arrecadou cerca de R$ 1 mil, valor revertido em kits de higiene e alimentos. Ainda assim, uma segunda leva de doações se faz necessária e, por isso, a sua ajuda é tão importante. De acordo com o grupo, cada kit sai por R$ 14 (com quatro sabonetes, três barras de sabão, uma cândida, uma pasta de dente, um pacote de absorvente e 4 rolos de papel higiênico).

Se você quiser ajudar, basta entrar em contato com a Samara Faustino no (13) 99149-0823. Também é possível ajudar fazendo transferência bancária/depósito na seguinte conta:

(Banco Itaú): Agência 0213| Conta Corrente 52869-8 em nome de Associação Cortiços do Centro (CNPJ 01.274.353.0001-42)

2. Periferia sem corona

Além disso, a campanha nacional Periferia sem Corona também está atuando aqui em Santos.

Neste momento, o pedido é para que os moradores, líderes comunitários ou ONGs de bairros periféricos se cadastrem na plataforma. Pois, deste modo, a comunicação acontecerá com as entidades próximas.

Aqui em Santos, a iniciativa também tem grupos no WhatsApp e Facebook. Nathan Miranda articula a ação aqui na região, se acaso você quiser ajudar é só chama-lo no Facebook.

“A proposta é construir uma rede que atue tanto pra área da saúde, quanto na chance de empregos locais. Queremos possibilitar a comunicação desses três polos – moradores, líderes comunitários e ONGs”, comenta Nathan Miranda, que está ajudando o projeto por aqui.