Victória Silva
Texto porVictória Silva
Jornalista, 24 anos - Santos

4 memórias de São Vicente que todo mundo guarda no coração

Clique aqui e confira também nosso tema da semana

  • 1
    Share

Grande parte das memórias da minha infância são em São Vicente. 

Eu lembro, por exemplo, de comer tempurá na Biquinha em um sábado à tarde e de ir comprar roupas para as minhas bonecas numa lojinha no Horto. Me recordo do frio na barriga ao participar da Encenação da Fundação da Vila de São Vicente e também de ir ao Parque Cultural.

Enfim, a cidade está bem viva na minha memória. E não só na minha, afinal, muita gente tem boas histórias de São Vicente para contar, né?

Por isso, em comemoração ao aniversário da cidade no dia 22 de janeiro, o Juicy  Santos fez uma lista que vai te encher de nostalgia.

Memórias de São Vicente para se sentir nostálgico

1. Sábados no Horto de São Vicente

Atualmente conhecido como Parque Voturuá – e pouco frequentado pela criançada de Santos – o Horto era a diversão de toda uma geração. Caso você faça parte desse grupo, provavelmente lembra da variedade de animais e também dos eventos que aconteciam por lá. A festa do morango e chocolate, por exemplo, sempre lotava e rendia roupas bem sujas na volta para casa.

Além disso, também eram atração o pesque e pague (que ficava lotado de pais) e o Museu do Escravo.

2. Os doces da Biquinha

Se o almoço era o peixe fresquíssimo, a sobremesa não poderia ser outra: um dos doces da Biquinha.

Essa é uma memória tão frequente que a gente tem até uma biquinha em Santos. A Biquinha do Gonzaga, em resumo, pretende homenagear os tempos de ouro do espaço vicentino. Assim como o horto, a Biquinha está funcionando normalmente nos dias de hoje – mas a estrutura mudou e a quantidade de pessoas por lá também.

3. Pirata

Quem já era adolescente nos anos 80, certamente, subiu à Ilha Porchat para ir à Boate Pirata. Tinha quem subisse ANDANDO e escondido dos pais para curtir à noite badalada por lá. Pular na piscina era proibido, mas sempre tinha alguém que desafiava a ordem no fim da noite.

www.juicysantos.com.br - boate pirata em são vicente anos 80Foto: São Vicente de Outrora

Você era essa pessoa?!

4. Museu Casa Martim Afonso

A casa onde Martim Afonso viveu entre 1532 e 1533 era um museu que, com toda certeza, estava no cronograma de excursões de todas as escolas da Baixada Santista. O interior tinha quadros históricos, maquetes e outros itens que contam a história de São Vicente.

Se você quiser revisitar ou levar a criançada, em 2019 o museu foi reformado e está aberto ao público novamente.

O pioneirismo da Ponte Pênsil

Além desses locais que vivem na nossa memória, São Vicente também tem um dos cartões-postais mais bonitos da Baixada Santista: a Ponte Pênsil.

A construção – considerada um patrimônio histórico pelo Condephaat desde 1982 – foi a primeira no Brasil neste estilo.

A obra teve inauguração em 1914, 4 anos após seu início, com todo o material importado da Alemanha.

E pra você, qual memória desperta sua nostalgia sobre São Vicente?