Victória Silva
Texto porVictória Silva
Jornalista, 23 anos - Santos

Como viajar com pouca grana?

Viajar é TUDO DE BOM.

Mas nem sempre a gente tá com grana sobrando para conhecer novos lugares ou pegar a estrada no abençoado feriadão, né?

Na ânsia de viajar, muita gente tenta cortar gastos e acaba fazendo isso de forma equivocada. Eu, por exemplo, caí nessa algumas vezes e acabei nem curtindo a viagem. Sério, não vai na ideia de comer salgadinho e miojo… Você pode ficar doente e passar o final de semana no PS local.

Dicona do Juicy Santos: a fila não é nada divertida e as lembranças não são boas.

dinheiro viage

Então, veja com a gente como viajar com pouca grana e ainda assim comer bem, curtir muito e não criar um rombo no orçamento ou uma fatura milionária no cartão de crédito.

Pernas, pra que te quero?

Deixe o carro na garagem, esqueça o Uber, táxi ou qualquer outro. Vá a pé ou de bicicleta.

Quando você opta por uma boa caminhada até o seu destino, além de economizar MUITO, ainda tem a oportunidade de conhecer novos lugares pelo caminho: um barzinho legal, um restaurante delícia e até um ponto bacana e que não estava no guia turístico.

Não esqueça: leve uma garrafinha d’água e se estiver sol passe muito protetor.

Abuse do transporte público

Se é eficiente ou não, é uma outra história.

Mas a maioria das cidades conta com um sistema público com ônibus, metrô ou trem (ou os três). Para evitar nervoso, basta fugir dos horários de pico e baixar um mapinha no celular para não se perder.

Prepare sua comida

Nada de miojo, salgadinho industrializado, bolacha recheada e outras porcarias. Se der para cozinhar, cozinhe. Vá ao mercado comprar os itens necessários para o café da manhã e aquele lanchinho da meia-noite, por exemplo.

Se a turma for grande e vocês trocarem o hotel por uma casa alugada (outra forma de economizar) dá para fazer até o almoço. Mas não deixe de, ao menos uma vez, experimentar a culinária local.

Amizades

A recomendação aqui é quebrar a barreira de turista, conhecer locais e assim descobrir pontos que não são tão comerciais e pouco visitados pela galera de fora. Eles podem te ajudar em situações preciosas, te indicarem lugares que outros visitantes sequer sonham conhecer e de quebra você ainda aumenta sua rede de amigos pelo mundo.

Já falamos sobre um projeto parecido, o Rent a Local Friend – olha só.

Não use cartão de crédito

Se você for para fora do país, deixe o cartão de crédito em casa.

Além de sofrer com as alterações no câmbio, ao utilizar o seu cartão de crédito no exterior, será preciso pagar por uma taxa chamada IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), ou seja,  6,38% sobre o total da compra.

Liste suas prioridades

Quando você escolheu o destino, provavelmente, tinha em mente o que queria muito conhecer/fazer. Então, faça uma lista com tudo isso e quanto vai gastar em cada um dos locais. Só depois de ter isso em mente, vá a outros lugares e compre lembrancinhas.

E lembre-se: um mimo para cada pessoa é suficiente.

Hospedagens alternativas

Opte por Arbnb, hostel, homestay ou aluguel de uma casa. Nem sempre ficar em um hotel é uma boa ideia e, na maioria das vezes, custa caro. Trabalhar em troca de um lugar para dormir também é uma opção em alguns destinos.

Feito isso. Boa viagem 🙂