Texto porVictória Silva
Jornalista, 25 anos - Santos

Para não fechar: empreendedores buscam canais alternativos de vendas

  • 1
    Share

Fim de tarde de um dia de semana. Uma xícara de café com as amigas e uma caminhada pelos corredores do shopping.

Bateu saudade?

A gente sabe bem como é. Desde que a pandemia começou, está complicado fazer esse tipo de rolê. Mesmo nos períodos em que o comércio tem permissão de funcionar, as coisas não são como antes… se a gente sente falta, os comerciantes que dependiam desse tipo de movimento sentem ainda mais. Além da saudade, no caso deles, também rola uma pequena apreensão sobre como fechar mais um mês sem ter a clientela de sempre.

E ai é preciso encontrar outras maneiras de se conectar com os clientes.

Por isso, uma galera busca canais alternativos de vendas

Aqui no Juicy, nós acompanhamos esse movimento e sempre divulgamos iniciativas legais que estão rolando. A galera dos bares e restaurantes, por exemplo, fez um festival gastronômico delivery. E várias lojas também estão buscam maneiras legais de vender durante a pandemia.

Se você tem um comércio, essas histórias podem te inspirar. Se acaso não tem, podem ser lojas para seguir e conferir os conteúdos que estão sendo produzidos:

1. Live leilão

Para ajudar lojistas de Santos a atravessarem a crise, a Marcelly Abreu e o Junior Marra reinventaram o formato de lives e criou a Live Leilão.

Em resumo, a influenciadora faz as transmissões direto no perfil das lojas e mostra diversas peças disponíveis com desconto. Quem está assistindo deve entrar em contato e efetuar a compra no momento que ela divulga a roupa.

“Uma das lojas que apostou neste novo estilo de vendas, com descontos mais agressivos, faturou mais com as lives do que em mês de comércio normalizado”, conta.

juicysantos.com.br - canais alternativos de vendasImagem: Divulgação

Se você está precisando atualizar o guarda-roupas, vale a pena ficar de olho para saber quando será a próxima live!

2. Clube de assinaturas

Desde que a pandemia começou, a Livraria Realejo tem encontrado maneiras de se conectar com os leitores de Santos e efetuar vendas. Para começar, o Tahan – livreiro responsável pela loja – criou o livreiro à domicílio. Em resumo, os clientes mandam mensagem via WhatsApp pedindo indicações de livros e o próprio Tahan ia entregá-los. Logo em seguida, o clube de assinaturas foi criado.

Nós já contamos essa história aqui no Juicy. É só clicar aqui para ver mais detalhes!

3. Caixinha surpresa da Refinatto Semijoias

No período de maior restrição, no qual as lojas não podiam funcionar, a Refinatto criou uma caixinha misteriosa de semijoias. Basicamente você escolhia o tamanho da caixa que gostaria de receber e pronto, era só esperar na sua casa.

Como assim Juicy?

A equipe da loja, com unidade em Guarujá e Vicente de Carvalho, verificava suas fotos do Instagram (onde as vendas eram feitas) e, com base no seu estilo, selecionava os acessórios para você. Além do fato de você receber uma surpresa, o valor dos produtos era dobrado. A caixinha G, por exemplo, custava R$ 100. Mas você recebia R$ 200 em acessórios.

Agora que o comércio está funcionando, as caixinhas não estão mais disponíveis. Mas vale a pena conferir quais serão as próximas novidades da loja.

4. Lives conjuntas

O recurso das lives do Instagram também foi escolhido pelo pessoal da Orla da Prata e do Club Filhas de Maria. Em conjunto, as duas lojas fizeram algumas transmissões e aproveitaram a união de clientes para anunciar novas coleções e oferecer descontos exclusivos para quem estava acompanhando o bate-papo.

5. Festival gastronômico em casa

A área de bares e restaurantes sofreu demais a partir de março de 2020.

As soluções buscadas passaram por várias fases, para obedecer às inúmeras reaberturas e fechamentos impostas pelo vírus e pelas autoridades.

Aqui em Santos, um pessoal se juntou para um festival gastronômico em casa.

A iniciativa do Amigos Ajudam Amigos oferece descontos em mais de 70 estabelecimentos da região por um mês inteiro.

Até mesmo eventos beneficentes tradicionais, como jantares do Graac e do Lar das Moças Cegas, passaram a atender em domicílio, utilizando um modelo totalmente novo para esse setor. Uma forma de continuar ajudando boas causas, mesmo de longe.

Você conhece algum empreendedor que se reinventou durante a pandemia? Conta pra gente nos comentários 🙂