29/12/2017 Por Victória Silva Onde comer, Para comer e beber

Onde comer acarajé em Santos?

Quantas Marias, Josés, Antônios, Josefas e outros você conhece que arrumaram as malas para pegar a estrada de cidades do Norte e Nordeste do Brasil com destino a São Paulo?

São muitos.

É por isso que a busca pelos sabores dessas regiões é tão grande. E, entre tantas receitas, uma delas faz sucesso não só em cidades paulistas, mas todo o Brasil. O acarajé.

Recentemente, a equipe do Juicy Santos se deliciou com o prato e dividiu o sabor em forma de imagem lá no Stories do Instagram (se você ainda não nos segue, fica a dica: @JuicySantos). Eis que uma avalanche de mensagens foram enviadas com a exatamente a mesma pergunta.

Onde comer acarajé em Santos?

Acarajé em Santos (2)

Gente, tem barraca de acarajé na Feirart. Nós já tínhamos falado sobre isso, rapidamente, em um post sobre as delícias que são vendidas na feira. Mas vamos nos aprofundar apenas nessa receita tipicamente baiana/africana.

O acarajé é vendido em duas opções: aberto ou fechado.

Nós optamos pelo aberto, que é servido no pratinho e custa R$ 17. Assim como nas praças públicas de Salvador, o acarajé é preparado por uma baiana que usa vestes tipicas. De tantos clientes na fila para pegar o prato, ela mal consegue se apresentar ou dar continuidade ao assunto.

Por isso, vamos falar mais sobre a receita em si.

O prato respeita a tradição, ou seja, você pode esperar por um bolinho de feijão fradinho com tempero na medida, lentamente frito no azeite de dendê, o que resulta em uma crosta bem moreninha e crocante e interior leve e macio. O recheio é um vatapá honesto, camarões secos e vinagrete. Uma observação: o acarajé “quente” leva pimenta, o que é totalmente opcional.

Acarajé em Santos (1)

Fartura é a única palavra que pode ser usada na descrição do prato. Sério mesmo, pode ir com fome ou pedir embalagem para viagem. Só não vai jogar no lixo, desperdiçar uma delícia dessa é um crime contra a cultura do nosso país!

Vai lá

A Feirart acontece aos sábados e domingos, a partir das 14 horas, na orla do Boqueirão (na direção da Av. Conselheiro Nébias).

Em programação normal, são dois endereços – aos sábados na praça do Sesc e aos domingos na praia – mas, por conta da reforma iniciada em abril, a feira segue no mesmo local em ambos os dias por tempo indeterminado.