Texto porFlávia Saad
39 anos - Santos (SP)

Pedro Bandeira: um autor de Santos que fez parte da sua vida

Ele escreveu os nossos livros favoritos na infância, mas você sabia que Pedro Bandeira é de Santos?

Sim, o autor da série Os Karas (eu AMAVA!) e de tantas outras histórias maravilhosas, nasceu aqui na nossa praia.

www.juicysantos.com.br - livros pedro bandeira os karasFoto: Universo dos Leitores

E a história de amor com a leitura também começou em terras caiçaras.

“A minha mãe contava histórias da Branca de Neve, da Cinderela, da Chapeuzinho Vermelho. E eu adormecia ouvindo a voz dela. Até hoje, esse som e essas histórias de fada fazem parte de mim. Foi aí que entrei, acho, na fantasia e na imaginação”.

O início da carreira de Pedro Bandeira

Nos anos 1960, Bandeira deixou a cidade para estudar Ciências Sociais na Universidade de São Paulo (USP).

Trabalhou como professor, ator, diretor, cenógrafo, redator e editor antes de, em 1972, iniciar na escrita. Seus primeiros textos infantojuvenis ganharam as bancas e, mais tarde, já nos anos 80, as livrarias com O Dinossauro Que Fazia Au-au (1983).

De lá para cá, a coleção só aumentou: foram mais de 100 títulos que venderam, juntos, 30 milhões de exemplares.

www.juicysantos.com.br - autor coleção os karasFoto: Rubens Romero

Outras obras de Pedro Bandeira

Em 2016, o autor revisou e relançou oito títulos com novo conceito editorial e capas diferenciadas pela Biblioteca Pedro Bandeira, atingindo uma geração que talvez ainda não conhecesse sua obra.

Descanse em paz, meu amor…, Prova de fogo, Brincadeira Mortal, O grande desafio, Gente de estimação, Alice no país da mentira, Histórias apaixonadas, Mariana menina e mulher são cheios de suspense, mistério e emoção, com uma linguagem jovem que se mantém tão atual quanto na época em que eu os li na escola, há mais de 20 anos.

Os mais recentes livros de Pedro Bandeira

Em 2017, publicou A Flecha Traiçoeira (Editora Moderna), que fala sobre tolerância e diferença para crianças a partir de 7 anos, utilizando personagens bem brasileiros. Rogério Borges fez as ilustrações.

Aramirim e Iraré, dois indiozinhos muito espertos e valentes, não podem ser amigos, pois são de tribos inimigas. Certo dia, os dois meninos se encontraram à beira de um rio, mas somente um deles estava armado com arco e flecha; o outro não tinha nada para se defender.

O desfecho da história? Só lendo o livro.

Já em 2019, Bandeira lançou As Cores de Laurinha. Na história, a menina quer dar uma linda bolsa para a mãe. E como conseguir dinheiro? E ela tem a ideia de vender seus lindos desenhos para juntar uma grana.