12/01/2015 Por Ludmilla Rossi Música

Show do Blow Up, uma das bandas mais curiosas de Santos

A banda Blow Up é uma das bandas que mais me desperta curiosidade aqui em Santos. Quando eu era criança via cartaz de shows deles. Quando eu era adolescente, Blow Up disputava os lambe-lambes da cidade com a divulgação das baladas que eu ia. Quando eu cresci um pouquinho mais notei que meus pais já tinham ido a um show do Blow Up. E eu já tô aqui, na maré da vida adulta e tô fazendo o quê?

Tô escrevendo um post no Juicy Santos dizendo que VAI TER SHOW DO BLOW UP!

Cara, que alívio poder falar isso! Vai ter show do Blow Up!!! Me senti muito jovem agora.

O show vai acontecer no próximo dia 17 de janeiro de 2015 (sábado) no palco do salão social do Clube de Regatas Vasco da Gama às 23h.

Com um repertório bastante variado, a banda apresenta canções que marcaram época de bandas como The Beatles, Pink Floyd, Rolling Stones e Bee Gees, por exemplo, entre outros.

Mas porque a banda é curiosa?

Primeiro, imagens:

blow-up-50-anos-1

blow-up-50-anos-2

blow-up-50-anos-3

Hora, convenhamos que os caras tem história. Alguns sites citam que a banda começou em 1965, ou seja, cinco décadas de estrada! Blow Up também fez história no cinema nacional participando do filme Se meu dólar falasse (olha que propício, DILMA!) com Grande Otelo e Dercy Gonçalves e como trilha internacional da novela Anjo Mau da Globo.

Mas a história mais interessante que achei foi no blog do Nassif, que afirma que o Blow Up “era pra ser o Roupa Nova”.

Confira o depoimento de Lobão:

Quando eu entrei o grupo já havia gravado um LP. Na gravação do segundo disco, foi quando saímos da gravadora Caravelle e eu já fazia parte. Passamos a ter dois tecladistas e um guitarrista. O Dell tinha viajado para a Inglaterra e composto a música Rainbow. Pintou uma oportunidade de gravar essa canção coincidentemente enquanto fazíamos aula de música para tirar a carteira da ordem dos músicos com o maestro Reginaldo Simpson, que era líder de uma banda que tocava tambores do Caribe. Como a Raibow era muito bonita conseguimos através do nosso empresário, que tinha muito conhecimento no meio artístico, e mostrou para o Augusto Cesar Vanucci que na época era da Globo. Ele conhecia um pessoal da Philips e pegamos um segmento que era a Phonogran, a gravadora dos medalhões. Produzimos a música e lançamos o compacto Rainbow. Foi legal, mas para divulgar era difícil. Foi aí que o Walter levou para escutarem a música e conseguimos colocar em uma novela chamada Anjo Mau, em 1977. Defendemos duas vezes no Globo de Ouro com essa música e foi isso que impulsionou a banda. Sabíamos que se dependesse só do compacto não iria dar. Depois das apresentações no Globo de Ouro recebemos o convite para fazer um contrato fixo com a gravadora e defender os sucessos internacionais. Aí a gente ficou na dúvida porque queríamos gravar sucessos nossos. Não falamos não, só que com eles não dava para ficar na dúvida, que na época era o Walter Lacet. E havia na época uma banda chamada The Funks que acabaram topando. Essa banda virou depois o Roupa Nova. Éramos idealistas e não queríamos tocar as músicas que faziam sucesso na época tipo Sidney Magal. Isso foi uma afronta e eles queimaram a gente na hora, além de ser cancelado o contrato com a Philips. A gente se arrependeu porque talvez se tivéssemos feito aquilo poderíamos depois fazer o que quiséssemos.

Coragem de fazer o que se acredita não é pra qualquer um! 😉

Depois dessa, não dá pra perder o show!
Convites estão disponíveis na secretaria do clube (Av. Alm. Saldanha da Gama, nº 33/35 – Ponta da Praia – Santos/SP)

Preços
Homens R$ 25,00.
Mulheres R$ 20,00
Mesa R$ 30,00.
Sócios tem livre ingresso.

Mais informações
Telefone: (13) 3561-8382

Aqui tem um vídeo que conta a história em detalhes, em vídeo

Share Button