Victória Silva
Texto porVictória Silva
Jornalista, 24 anos - Santos

O que muda durante a quarentena do coronavírus na Baixada Santista

Desde segunda-feira (16 de março), as nossas rotinas sofreram uma mudança não imaginada: a quarentena

Inicialmente, o isolamento social era voluntário. Mas, aos poucos, a galera começou a entender que já não é mais tempo de fazer memes sobre o coronavírus. Se a ficha ainda não tinha caído, chegamos ao momento de entender que a situação é bem séria. Pois, de acordo com o anúncio feito por Paulo Alexandre Barbosa – prefeito de Santos e também presidente do Conselho de Desenvolvimento da Baixada Santista (Condesb) -, a quarentena não é mais tão opcional assim.

Como assim, Juicy?

www.juicysantos.com.br - fique em casa coronavírus baixada santista

Calma, a gente te explica o que muda de agora em diante na quarentena do coronavírus na Baixada Santista. Mas, um spoiler: shoppings, igrejas, academias e casas noturnas vão ter que parar suas programações e não há previsão de retorno.

Mudanças na quarentena do coronavírus na Baixada Santista

1.  A situação do comércio

Para começar, a determinação é de que os shoppings interrompam seus funcionamentos a partir de 20 de março, sexta-feira. Apenas os serviços essenciais como, por exemplo, supermercados e farmácias, poderão seguir funcionando.  Na mesma data, fecham as academias, casas noturnas e igrejas.

Já os restaurantes precisam reduzir em 30% o número de cadeiras e mesas. Para, consecutivamente, ter uma menor aglomeração de pessoas. Além disso, pede-se que incentivem o comércio delivery para pedidos de refeição e demais produtos.

2. Ir à praia na quarentena, pode?

NÃO!

Quem acompanha o Instagram do Juicy viu que em Guarujá os bombeiros já estavam pedindo para os banhistas se retirarem. Mas, agora, a restrição vale também para a faixa de areia. Estão proibidos barracas, cadeiras, guarda-sol e ambulantes na praia.

Neste sentido, a determinação vai além dos moradores da região. Já que ninguém mais entra nos hotéis, pousadas e similares em toda a região. Estes, inclusive, devem suspender as atividades a partir de segunda-feira. Como os hotéis estarão fechados, vai rolar também uma campanha no sistema Anchieta/Imigrantes para desestimular que as pessoas venham à região.

A rodoviária deve ser fechada nos próximos dias – será encaminhada carta ao governador João Doria solicitando o atendimento deste pedido por meio da Artesp e da concessionária Ecovias.

3. Plano de contingência

Para garantir que os casos suspeitos tenham atendimento apropriado, houve o pedido de mais leitos de UTI para a região. A demanda solicitada é de:

  • 14 leitos para Bertioga;
  • 10 para Praia Grande;
  • 4 para São Vicente;
  • 20 para Guarujá.

Em paralelo, atendimentos de rotina mediante agendamento das unidades básicas serão suspensos. O que não inclui projetos estratégicos como, por exemplo, o pré-natal.

Esse é o momento de ficar em casa e garantir a saúde e segurança de todos. Lembre-se de consumir de pequenos empreendedores através delivery e de respeitar as medidas 🙂