Victória Silva
Texto porVictória Silva
Jornalista, 23 anos - Santos

EcoFábrica Criativa: design, emprego e sustentabilidade

O lixo que você descarta no Cata Treco virou prêmio.

Um projeto santista ganhou reconhecimento no exterior tirando da rua peças rejeitadas pela população pelo serviço de recolhimento, gerando renda para uma comunidade, promovendo a sustentabilidade, formando novos profissionais de marcenaria e, além de tudo isso, utilizando design como ferramenta.

Pode comemorar: um dos grandes vencedores do IF Social Impact Prize de 2017 é santista.

A EcoFábrica Criativa foi reconhecida internacionalmente, para fechar 2017 com chave de ouro. 

Mas, se você, santista, não souber do que se trata o projeto, o Juicy Santos te explica: o equipamento (coordenado pelo Fundo Social de Solidariedade) trabalha com o material coletado pelo serviço Cata Treco.

Durante as aulas, que acontecem dentro do Mercado Municipal, os alunos aprendem a confeccionar peças para como placas, cavaletes, bancos e floreiras, além de objetos de decoração.

FRANCISCO ARRAIS_0120

Por ano, são formados 80 alunos que, juntos, reutilizam 3 toneladas de madeira!

Reconhecimento

O espaço existe desde junho de 2016. E, pouco mais de um ano depois, ganhou esse reconhecimento do IF Social Impact Prize, prêmio internacional de design que busca projetos que tenham impacto social.

Para conquistar esse feito, o projeto santista foi avaliado por uma comissão julgadora com 12 membros de países como Taiwan, China, Coreia do Sul e Alemanha, que avaliaram – entre outras coisas – os seguintes aspectos:

– resolver um problema relevante
– refletir questões morais e éticas
– fortalecer as relações de um grupo
– criar uma experiência positiva
– ter boa relação custo-benefício

Assim, faturaram 10 mil euros (aproximadamente R$ 39 mil).

“É uma satisfação muito grande que esse projeto tenha sido premiado. Ele é completo, com os aspectos ambiental e social e reutilização de materiais, além de formação a pessoas de baixa renda”, afirma Maria Ignez Pereira Barbosa, presidente do Fundo Social de Solidariedade (FSS).

ANDERSON BIANCHI_ 8385

O valor será totalmente aplicado na própria Ecofábrica Criativa que, em 2018, ganhará novos equipamentos, um número maior de vagas e outras novidades que ainda não foram divulgadas.