Victória Silva
Texto porVictória Silva
Jornalista, 23 anos - Santos

Tio Dito e a horta em uma escola de Santos, uma história cheia de amor

Esqueça agrotóxicos, embalagens de plástico e aquele verde desbotado. No bairro do Bom Retiro, em Santos, os legumes consumidos pelos alunos da Escola Municipal Clóvis Bandeira Brasil são frescos e livros de qualquer componente químico. No lugar do venenos, os alimentos recebem apenas amor.

Isso porque um canteiro da escola abriga um hortinha. E é dela que saem os alimentos que vão para a cozinha e, posteriormente, para os pratos dos pequenos alunos. Tem sido assim há 29 anos. Mesmo tempo de casa do Tio Dito, como Benedito Vieira da Silva é carinhosamente chamado pelos alunos.

Tem horta em uma escola de Santos

O simpático alagoano de 62 anos atua na instituição como agente de portaria. Amante da natureza, ele passa boa parte de seu tempo livre estudando sobre a terra e as plantas. Por isso, quando começou a trabalhar no colégio (em 1986), ele decidiu compartilhar o carinho pela natureza e o conhecimento com seus pequenos colegas.

Conhecemos a esquina mais aromática de Santos

Desde então, o cantinho da escola se transformou em horta. As plantações nunca mais pararam.

juicysantos.com.br - horta em uma escola de SantosImagem: Francisco Arrais/PMS

Atualmente, quem visita os canteiros da escola encontra:

  • Batata doce branca e roxa
  • Mandioca
  • Inhame
  • Feijão preto
  • Alface crespa
  • Coentro
  • Orégano
  • Banana roxa
  • Citronela

De acordo com Dito, as plantações são pensadas entre os professores e os alunos. Afinal, os produtos colhidos vão para o preparo da merenda da escola. E o planejamento é feito com antecedência, pois eles já sabem o que será semeado no segundo semestre. Em breve, vão plantar, por exemplo, cenoura, beterraba, escarola, salsinha, tomate e cebolinha.

Os 170 alunos, do maternal ao pré, acompanham as transformações da horta uma vez por semana.

“Eles querem saber tudo. Comentam com os pais e cobram resultados. Se digo que daqui a cinco dias vai nascer a planta, no quinto dia perguntam se já nasceu”.

juicysantos.com.br - horta em uma escola de SantosImagem: Francisco Arrais

Para a professora do jardim A, Liliana Ayala, a atividade valoriza a escola. Uma vez que os alunos aprendem qual é a origem dos alimentos e também entendem a razão de precisarem preservar o meio ambiente.

Reconhecimento

A importância do trabalho do Dito já extrapolou os muros da escola. Desde 2010, ele faz palestras em diversos lugares para falar sobre a horta. Em agosto do ano passado, apresentou sua iniciativa no II Workshop de Práticas Integrativas e Complementares, no Centro de Práticas Esportivas da USP (Cepeusp). O objetivo foi mostrar como a comunidade cuida da escola, com capacitação e suporte do Grupo Essência Saúde Integrativa (Gesi), parceiro do seu projeto.

A fala impressionou os profissionais da USP. Afinal, o alagoano acumula diversos conhecimentos, inclusive quanto ao aspecto medicinal das plantas.

“Parecia um sonho, eu falando para aqueles especialistas. Quando me convidaram, não acreditei. Eu sempre explico para os pequenos as propriedades de cada alimento e pesquiso muito”.