Juicy Santos
Texto porJuicy Santos
Santos

5 dicas de um profissional pra evitar as fake news

Os fofoqueiros já não estão mais na janela de casa nem passando trotes por telefone.

Eles ganharam dimensão sem limites: a internet.

Boatos invadem seu WhatsApp e sua linha do tempo no Facebook. Você pode ser vítima – ou culpado, ainda que sem querer – do velho hábito de retransmitir informações falsas, que agora têm nome novo: fake news (notícias falsas, em tradução livre).

www.juicysantos.com.br - como identificar fake news

Mentiras se espalham cada vez mais depressa e de formas sofisticadas.

Farsantes transformam boatos em verdades quase incontestáveis.

Há sites que permitem publicações sob a promessa de que cada curtida ou acesso renderá centavos para o autor. Tem gente que, ao compartilhar, muda o título original do link.

Nem todos que o recebem leem a matéria real, mas passam adiante. Às vezes, porque não gostam da pessoa na reportagem…

Trabalho com comunicação há 24 anos e percebo que poucas pessoas se preocupam com a origem das informações que chegam até elas. O poder que a internet proporciona precisa ser acompanhado de educação, para mostrar que nem tudo é o que parece.

Porém, o cidadão tem como se defender de notícias falsas. Dar noções de jornalismo às pessoas pode ajudá-las nisso.

www.juicysantos.com.br - fake news

Aí vão, portanto, 5 dicas pra reconhecer e evitar o compartilhamento de fake news – são orientações que valem até para profissionais da área:

1. Não aperte o botão de compartilhar para tudo que cair na sua tela;

2. Procure saber como surgiu a informação. Pergunte para quem lhe mandou. Se essa pessoa não souber, faça uma pesquisa. Se não achar de jeito nenhum, não repasse;

3. Caso você confirme que a informação é falsa, não tenha medo de ser chato: desminta;

4. É verdadeira? Interessa a outras pessoas? Então, compartilhe para valer. E, se conseguir, complemente com mais informações;

5. Repassou uma notícia falsa? Corrija e informe para quem puder que se enganou.

É por tudo isso que criei o curso ‘Jornalismo Simples’. Contém orientações sobre princípios, leis, técnicas, práticas e linguagens da profissão.

São textos, áudios e vídeos para preparar o público a defender verdades e melhorar a qualidade do que se vê na internet. O material não vai formar jornalistas, mas servirá para preparar cidadãos capazes de interromper mentiras e dividir verdades.

Por Rafael Motta, jornalista com experiência em rádio, televisão, jornalismo impresso e internet. Já escreveu um livro. É editor assistente de Cidades do jornal A Tribuna, em Santos (SP.