10/03/2018 Por Flávia Saad Beleza

Descoberta incrível: cosméticos para peles sensíveis da Coverage

O mercado de beleza é um verdadeiro fenômeno no Brasil – e o terceiro em todo o mundo. Mas e então, o que faz uma marca nacional se destacar no meio de tantos lançamentos e inovações vindas de fora?

Para mim, desde que conheci a história por trás da Coverage Cosmetics, a resposta para essa pergunta é saber que ela coloca beleza e tratamento na mesma frase.

A Coverage oferece produtos para recuperação tecidual, como pós-peeling e pós-cirúrgico, em que a pele está sensibilizada e precisa de cuidados específicos.

www.juicysantos.com.br - coverage cosméticos para peles sensíveisFoto: Amanda Dalbjörn para Unsplash

Tem gente e tem muito amor envolvido na Coverage.

Tive meu primeiro contato com Tatiana Moura, cirurgiã plástica e CEO da Coverage, no programa B2Mamy, aceleradora de mães empreendedoras da qual faço parte como mentora.

Conversei com ela pra entender um pouco mais sobre como essa startup de beleza e saúde. 

É muito incrível perceber como as novas empresas surgem a partir da interação humana: uma paciente, após 11 anos de tratamento e 9 cirurgias, inspirou a criação dos cosméticos para peles sensíveis.

Como se deu a inspiração para criar a Coverage?

Sou formada pela FMUSP (em 2000). Desde a minha ingressão na faculdade de Medicina, sempre quis fazer cirurgia plástica e assim foi. Fiz cirurgia geral, depois plástica e mestrado e, por fim, fiquei como assistente voluntária no Hospital das Clinicas no grupo de cirurgia plástica infantil, onde tratamos crianças com mal formações congênitas, especialmente crianças portadoras de nevus congenito gigantes, que são pintas gigantes.

Estas lesões aumentam muito a chance de melanoma, um tumor cutâneo de altíssima mortalidade. Essas crianças são submetidas a diversos procedimentos e assim, nosso vinculo é bem grande e acabo acompanhando o crescimento deles.

Uma paciente em especial me fez despertar a certeza que nosso trabalho não se restringia a retirar as lesões. Certo dia, após 9 cirurgias e 11 anos de acompanhamento, ela me perguntou que dia ela iria fazer a plástica, porque antes ela sofria com a pinta e agora ela se incomodava muito com as cicatrizes. Nosso objetivo de diminuir a chance de melanoma tinha sido alcançado, mas ela só queria ser aceita socialmente.

Então pensei que ela deveria camuflar a cicatriz de alguma forma. Surgiu a ideia de desenvolver produtos para peles sensíveis que pudessem ser usados após cirurgias e em pacientes com doenças crônicas de pele, inclusive por crianças.

www.juicysantos.com.br - tatiana moura ceo coverageFoto: Luciana Sá

Quanto tempo se passou de ter a ideia até você colocar em prática? Como foi esse processo pra você?

Mesmo sentindo a necessidade do mercado, eu ainda não tinha me visto como empresária e responsável por concretizar essa ideia, até porque já tinha uma empresa médica com 3 sócias havia pouco tempo e não tinha dado certo. Estava bem desanimada com empreender, até que fui convidada a participar do Start do B2Mamy, Durante esse dia de revelações, pensei em ter uma marca de cosméticos voltados para peles sensíveis.

Como é o mercado atual no Brasil de cosméticos para peles sensíveis e de que forma a Coverage se diferencia nesse nicho?

O mercado de dermocosméticos no Brasil é bem aquecido, sendo o Brasil o terceiro mercado mundial.

Para peles sensíveis, há uma grande dificuldade pois as marcas de dermocosméticos importados são extremamente caras e a opção de manipulação (que atende melhor essa população) não é uniforme e extremamente dependente do controle de qualidade de cada farmácia.

Além disso, possuem prazo de validade muito curto e dependem do paciente pegar a receita, fazer orçamentos e aguardar receber o produto, o que obviamente dificulta a aderência ao tratamento.

No Brasil, não encontramos uma marca que se dedique exclusivamente à pele sensível ou sensibilizada por processos cirúrgicos ou dermatológicos com a segurança de grandes indústrias e eficácia dos manipulados.

Quais as maiores dificuldades que enfrentou como empreendedora no mercado de beleza?

As principais dificuldades que estamos enfrentado aparecem no processo de industrialização, que é extremamente burocrático e dispendioso.

Como foi a recepção das pessoas a essa linha de produtos? Isso te surpreendeu ou confirmou suas expectativas?

A recepção e aceitação dos nosso produtos foi fantástica, ficamos surpresos com as respostas dos clientes de pele normais, ou seja, fora de períodos operatórios, e que estão aderindo à linha pela sua eficácia e também pela praticidade de um tratamento completo com poucos produtos.

www.juicysantos.com.br - cosméticos para peles sensíveis

E de que forma o B2Mamy foi importante para a sua jornada?

No final do Start, quando fazemos um pitch improvisado (e eu nunca tinha ouvido falar essa palavra!), há uma espécie de avaliação onde a plateia avalia se sua proposta esta clara, se consumiriam seu produto e se acham relevante. Nossa proposta, nascida poucas horas antes, foi a vencedora. Partimos para o Pulse (segunda parte da jornada de aceleração) dois meses depois, mudamos de nome, abrimos CNPJ e começamos a produzir e vender em um curto espaço de tempo.

Portanto, o B2Mamy foi fundamental.

Quais os planos para a Coverage neste ano de 2018? E para os próximos anos?

Vamos industrializar toda a linha de tratamento, com espuma de limpeza, sérum antienvelhecimento, base multifuncional, tensor da área dos olhos, creme clareador e protetor solar sem cor e lançar a linha de camuflagem, que terá maquiagem de cobertura com base em diversos tons e corretivos para camuflar manchas de diversas cores e hematomas baseados na teoria das cores complementares.

Share Button