Ludmilla Rossi
Texto porLudmilla Rossi
37 anos - Santos

49 nacionalidades diferentes visitaram o Museu Pelé

Chilenos, norte-americanos, ingleses, colombianos e costarriquenhos, de um total de visitantes de 49 nacionalidades, formaram o maior público do Museu Pelé, logo após os santistas, de acordo com levantamento realizado pela Setur (Secretaria de Turismo) no período de 16 de julho a 7 de setembro de 2014

Dos 1.345 entrevistados pelo Setor de Pesquisas Turísticas, 30,71% eram estrangeiros, índice apenas 3,37% abaixo do total de santistas que conheceu o equipamento no período. O equipamento registrou a presença de romenos, gregos, etíopes, checo, jordaniano, dinamarquês e austríaco, entre outros.

Os visitantes da capital totalizaram 30,56%, seguindo-se moradores de outros estados (14,05%), Interior (10,78%), Costa da Mata Atlântica (8,10%), ABC e região metropolitana de São Paulo (5,35%) e Vale do Ribeira (0,45%). Moradores do Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Santa Catarina, além de Campinas, Ribeirão Preto, Sorocaba, Bauru e Marília, foram os que mais estiveram no museu, dentre os estados e cidades do Interior, respectivamente.

museu-pele-fachada

99% QUEREM VOLTAR
As mulheres foram as que mais visitaram o equipamento (56,62%), com predominância da faixa etária de 36 a 45 anos (24,95%) – jovens de até 25 anos representaram 16,31%, na pesquisa de Perfil do Turista, que envolveu 521 pessoas.

A maioria absoluta (99,23%) adiantou interesse em retornar à cidade e 97,31% consideraram o Museu Pelé ‘excelente’ e ‘bom’. Um total de 53,36% dos entrevistados esteve em Santos pela primeira vez (em férias (47,41%), atraídos pelo Museu Pelé (24,38%) e pelos equipamentos turísticos e históricos da cidade (24,18%).