Luiz Gomes Otero
Texto porLuiz Gomes Otero

The Who no Fillmore East: um show que entrou pra história

Um registro ao vivo antológico da banda The Who ganhou justo resgate em disco. Trata-se de uma apresentação realizada há 50 anos, em 1968, nos Estados Unidos, no lerndário Fillmore East, comandado por Bill Graham, com a formação original do grupo – Pete Townshend, Roger Daltrey, Keith Moon e John Entwistle.

www.juicysantos.com.br - the who fillmore east

Os shows do Who no Fillmore East marcavam o final de uma exasutiva turnê, bem no meio de um período prá lá de turbulento da história.

The Who Live at the Fillmore East

No dia 4 de abril de 1968, Martin Luther King foi assassinado. E os Estados Unidos estavam com diversas manifestações contra a Guerra do Vietnã, além da natural convulsão social provocada pela morte do líder negro pacifista. Com esse tumulto como pano de fundo, nos dias 5 e 6 de abril daquele ano, o The Who realizou dois sets ao vivo incendiários no Fillmore East.


O clube novaiorquino, famoso nos anos 60 e 70, tinha sido reaberto em março por Graham. O The Who foi o primeiro grupo britânico a encabeçar uma apresentação do Fillmore East nesta época e quatro shows durante as duas noites estavam agendados. No entanto, por causa da inquietação social na sequência do assassinato do Dr. King, decidiu-se compactar os shows em um por noite.

A história por trás do álbum Live At The Fillmore East

Ambas as noites foram gravadas pelo produtor Kit Lambert, com a intenção de divulgar os resultados como o quarto álbum do The Who depois de The Who Sell Out e antes da ópera rock Tommy. Na primeira noite, o aparelho apresentou defeito e não houve o registro integral. Felizmente, a segunda noite foi gravada e, agora, mais de 40 anos depois, lançada totalmente restaurada e mixada. Quem fez o som do engenheiro Bob Pridden (que era o roadie da banda naquelas noites, em 1968) das fitas originais de quatro faixas.

O conjunto de 3 LPs inclui três números de Eddie Cochran (um ícone do início do rock, nos anos 50/60); My Way, Summertime Blues e a nunca antes lançada versão de C’mon Everybody.

Também é destaque uma versão cover de Fortune Teller, escrita por Allen Toussaint, originalmente gravada por Benny Spellman, mas que ficou famosa com The Merseybeats, Rolling Stones e vários outros grupos ingleses. Esses shows também trazem Tattoo e Relax, do disco The Who Sell Out, bem como impressionantes versões estendidas de A Quick One e My Generation, que se transforma em uma jam de mais de 30 minutos com clímax da destruição de guitarras e demolição de tambores.

Nada do que falarmos aqui vai conseguir descrever esse álbum. É rock em sua mais pura forma – clássico e sem cortes. Dê o play e deixe o rock rolar.