Luiz Gomes Otero
Texto porLuiz Gomes Otero

Paul Simon confirma sua genialidade em In The Blue Light

Depois de anunciar sua aposentadoria dos palcos em 2018, Paul Simon lança mais um álbum de estúdio, In The Blue Night. O disco traz uma seleção de canções inspiradíssimas, todas de sua autoria, que atestam a sua genialidade como músico.

Veterano do pop

Para quem não sabe, Simon surgiu na década de 60 fazendo dupla com Art Garfunkel e compondo hits antológicos como The Sound Of Silence, Bridge Over Troubled Waters e Homeward Bound, entre outros. A partir dos anos 70, desenvolveu uma produtiva carreira solo e vem se apresentando ocasionalmente com o antigo parceiro ao longo dos anos.


Esse novo trabalho tem produção de Simon e de Roy Halee, Conta com canções menos conhecidas dos seus álbuns solo, mas que nem por isso deixam de ser geniais.

Há um certo ar jazzístico na faixa How the Heart Approaches What It Yearns, com uma participação luxuosa de Wynton Marsalis no trompete. E na faixa que abre o disco, Simon se aventura com um arranjo baseado no blues tradicional. Darling Lorraine se aproxima um pouco de sua produção dos anos 60, com toques de folk music. E a singela balada Questions For The Angels fecha o disco de forma brilhante.


Se, por um lado, o veterano Simon decidiu se aposentar dos palcos (esperamos que ele reveja essa decisão), por outro, no estúdio, ele parece que ainda tem muito o que oferecer para o público. Esse seu novo trabalho tem canções que mesclam suas influências musicais e apresentam um artista por inteiro.