Luiz Gomes Otero
Texto porLuiz Gomes Otero
TAGs

funk música

James Brown, 10 anos sem o mito da soul music

Polêmico, mas acima de tudo, um talento raro que traduzia em energia a sua vontade de expressar em música.

Este era James Brown, o ícone da soul music, que nos deixou há exatos 10 anos, no dia 25 de dezembro de 2006.

Não só se mostrou um visionário no estilo da soul e do funk (o autêntico), como ainda é uma referência para várias outras gerações de músicos.

Brown, talvez, seja o cara mais sampleado da história da música – em especial, por DJs e cantores de rap e de hip hop, que sempre beberam em sua fonte musical.

Astros como Michael Jackson e Prince sempre citaram Brown como uma referência importante. Vamos aqui relembrar apenas algumas de suas inúmeras criações geniais.

brown2

Please Please Please – Balada gravada no início de carreira e que acabou virando peça obrigatória em seus shows ao vivo. Ele costumava sempre colocar a tradicional capa de sua roupa de show no final dessa canção.

I Feel Good – Canção que marcou muito nos anos 60 e chegou a ser incluída da trilha do filme Bom Dia Vietnã, estrelado pelo ator Robin Williams. Grande momento do mestre da soul.

Papa´s Got A Brand New Bag – Outra canção clássica dos anos 60, que acabou virando referência para qualquer músico iniciante de soul. Não precisa de mais comentários.

The Payback – Canção da fase de transição do mestre, quando passou a apontar novos rumos e pavimentou o caminho para o funk, que surgiria com força total naquela década.

Sex Machine – Outra canção da fase de transição dos anos 70. Uma letra despretensiosa e até banal. Mas a batida e o ritmo são inconfundíveis. É só contar até quatro para entrar no espírito da canção.

Funky Drummer – Outra canção que marcou os anos 70, que serve como referência para os músicos até hoje. Ela foi feita a partir de uma batida criada pelo baterista da banda de Brown no estúdio.

Living In America – Canção que foi tema de trilha de um dos filmes de Sylvester Stallone, da saga do boxeador Rocky Balboa. Não é um dos grandes momentos do mito, mas mostra um resgate de sua popularidade, que andava em baixa por conta das polêmicas em que se meteu ao longo dos anos.