Victória Silva
Texto porVictória Silva
Jornalista, 24 anos - Santos

Conheça a banda Mordida

Entre brincadeiras, risadas e tons musicais, a Banda Mordida estreia nos palcos santistas logo mais. 

mordida

“Tudo começou ao ouvir a Ju cantar. Ela é atriz e faz um espetáculo comigo”, explica Priscila Calazans, produtora. “Encontrar o resto da banda também não foi difícil. Já conhecia o histórico da Rozy e tinha amigos em comum com a Paula”, continua.

Unidas há pouco mais de um mês, as meninas mostram uma sincronia invejável. Apenas com uma troca de olhares, já sabem que precisam voltar àquele trecho da música e, sem discutir, definem a ordem das canções da primeira apresentação.

“Acho que essa é mais samba, agitadinha, coloca para o final”, sugere a percursionista Paula Motta, durante o ensaio regado a café.

A veia artística é visível e da um toque especial ao grupo. Performáticas, sorriem, dançam e brincam durante as músicas – um repertório que traz MPB e músicas internacionais com uma pegada de samba. “É coisa séria, mas não é por isso que não posso sorrir, né?”, brinca a vocalista Juliana Damazio.

“A gente decidiu colocar uma pitada da música brasileira, aquelas que não são ouvidas na noite”, continua Rozy Padron.

Entre as respostas, a voz suave (mas cheia de presença) da Juliana dá vida a Cabide, da Ana Carolina, Feeling Good, de Nina Simone e outros clássicos. “Sabe quando você gosta muito de uma coisa e quer morde-la? Pode ser algo provocador, por serem três mulheres… uma chuva de ideias e possibilidades”.

A banda ainda é um bebê, então tem que ficar de olho na nossa agenda pra ver quando tem show das meninas por ai. Podemos adiantar que vai rolar apresentação nas tendas, mas ainda não há uma confirmação da data.