Victória Silva
Texto porVictória Silva
Jornalista, 23 anos - Santos

Conheça a banda Autêntica

Sabe quando a paixão de alguém fica evidente em suas palavras? É assim que vamos começar a descrever os garotos da Banda Autêntica.

Vencedores do primeiro Festival da Juventude de Santos, eles trazem um som que mistura o rock brasileiro das antigas com um estilo mais atual. Junção perfeita, que agrada a minha geração (confesso, viciei em A Grande Chance) e os mais velhos, tipo o meu pai, que veio me perguntar quem eram.

12107939_10208198301380922_4381239754472996120_nImagem: Reprodução

“Aproveitamos todo e qualquer tempo extra para trabalhar nosso som. Tem ensaio todos os dias da semana, só aos domingos rola uma folguinha”, explicam.

A maturidade das músicas é resultado desse esforço. A média chega a 15 horas de ensaios semanais.

“Se você pensar em um músico, ele fica no estúdio a mesma quantidade de tempo que uma pessoa normal fica no escritório. Nós não podemos fazer isso ainda, mas damos o máximo possível”.

E não para por aí: os garotos contam com acompanhamento de uma professora de música e um produtor.

Processo criativo

O resultado é um som em que tudo se encaixa – a voz de Matheus casa com o baixo de Marco, que conversa perfeitamente com a bateria do Felipe e a guitarra do Cadu. “A gente prioriza a letra. A música tem que ter uma mensagem, não vamos sair tocando qualquer coisa que vem em mente”.

O responsável pela composição normalmente é o vocalista, mas eles explicam que todos têm liberdade para trazer ideias. “Gosto de estar com os olhos abertos para a vida, tudo que passa por nós pode virar alguma coisa”, explica.

“Nós temos um produtor musical, o Bruno Nascimento. O cara é fantástico para trabalhar, tem paciência e não tira o nosso dedo das coisas, sabe qual é? Não é aquela produção que lapida tirando as características, ele sabe como a gente gosta”.

Dificuldades

Apesar de tamanho empenho, os garotos se mostram desanimados quando tocamos num assunto: o cenário e a dificuldade de manter um projeto.

“Não é uma dificuldade só de Santos, é algo que está em todo o país. Pouco é investido em cultura. Não é um evento por ano, tem que ter espaço, festivais… o cenário tem estar de acordo com o movimento”.

Mesmo com as limitações, do tipo sistema de cotas de ingressos para tocar em shows e panelinhas entre as bandas, o som da Autentica já esteve em alguns locais da cidade. “Dizer que ganhamos o primeiro Festival da Juventude ajuda bastante”.

O Festival

“Foi incrível. Não achamos que iriamos ganhar”, comentam quando o assunto vem à tona. “Durante a primeira fase, que foi eliminatória, os jurados foram bem severos, fizeram críticas duras. Depois do festival, conversamos e eles se disseram felizes por termos dado ouvidos ao que foi dito. Foi maravilhoso!”.

Além do título de vencedores e da injeção de ânimo, fizeram novos amigos entre uma apresentação e outra. Durante dois momentos da entrevista, a banda Garagem Erudita (também falamos com eles) foi lembrada pelos Autênticos. “Os caras fazem um som muito maneiro, misturam clássico, com uma pegada de rock e jazz, é um projeto muito bacana”.

Planos para o futuro

As muitas horas de estúdio se tornarão um CD em 2016. “Já estamos em fase de finalização, só não sabemos se vai ser streaming, download, CD prensado ou tudo, essa será a pauta das nossas próximas reuniões”.

Enquanto a plataforma não é decida, eles afirmam apenas uma coisa. “Estamos trabalhando muito para chegar a um resultado digno da nossa dedicação, são horas de trabalho e dinheiro investido. Sabemos que nenhum esforço é em vão quando se acredita, e nós acreditamos muito”, finalizam.

Para ficar de olho em todos os acordes da banda, é só curtir no Facebook e seguir lá no Instagram. Além disso, você pode ouvir as músicas disponíveis no Soundcloud 😉