Luiz Gomes Otero
Texto porLuiz Gomes Otero

Camila Simont e a melodia inacabada

Desde que vivi a adolescência com a mesma intensidade dos jovens atuais, escuto dizer que a vida é algo muito breve. É quase como um sopro, que você sente e que passa sem que você se tenha dado conta de que ainda precisava ser muito vivida.

Mas quando constato pessoas jovens e cheias de vida deixando o nosso convívio por atos sem qualquer tipo de explicação ou justificativa, a coisa realmente não se encaixa no quebra-cabeça da mente.

Há dois anos, Camila Silva Moutinho, que era conhecida como Camila Simont, vivia um sonho: viver da música. Estava prestes a se formar Bacharel em música e integrava a banda Rockdelia, além de dar aulas em uma escola de música de Taboão da Serra. Tinha 23 anos e um mundo inteiro para conquistar.

Camila Simont e a melodia inacabada

Infelizmente, todos esses sonhos foram interrompidos por causa de um ato violento e insano. Ela e a mãe, Cleusa, foram brutalmente assassinadas na noite do dia 6 de março de 2012, na casa onde viviam, em São Paulo. A autoria do crime, que aconteceu um dia antes do aniversário de Camila, foi atribuída a um morador de rua que ironicamente as duas ajudavam regularmente com uma certa quantia de dinheiro. Um crime bárbaro e sem qualquer explicação.

Dois anos depois do crime, os amigos de Camila passaram a manter viva a memória da guitarrista que tinha muitos sonhos em sua mente e era fã do desenho Os Simpsons. Um perfil no facebook tem divulgado sua arte, assim como os inúmeros vídeos postados no youtube, alguns deles gravados por Camila ainda em vida e editados pelos amigos e familiares.

)

Só fui ter contato com essa história há pouco mais de um ano, por meio inicialmente de um dos vídeos que vi no youtube.

E, mais tarde, passei a seguir o perfil criado no Facebook em sua homenagem. Ainda não consigo entender o motivo de isso ter acontecido, se é que isso é possível. A imagem de Camila nos vídeos é de uma jovem doce, ingênua, incapaz de fazer mal a um semelhante. Quando ouvimos a sua música, temos a certeza disso. Um dos registros mais emocionantes é a sua versão instrumental de In My Life, dos Beatles, que ganhou uma edição especial com imagens de sua infância e trajetória na música.

A doce homenagem dos amigos permitiu que todos pudessem entender que a arte é algo que supera todos os limites. Camila foi um sonho jovem, interrompido bruscamente por obra de um ato brutal e sem explicação. Mas a música, quando é tocada de forma sincera, resiste ao tempo. E a de Camila durará por muitos anos, com toda certeza.