Aline Brentegani
Texto porAline Brentegani

Banda Sidarta lança primeiro álbum no Sesc Santos

Álbum homônimo tem 13 faixas e trazem à tona a musicalidade mundial de um dos grupos de maior destaque no cenário santista – cachê da apresentação será revertido para o Lar das Moças Cegas e o Lar Espírita Mensageiros da Luz.

banda sidarta

No início do século passado, inspirado em um período de estadia na Índia, Herman Hesse escreveu o romance “Sidarta”. O livro trata basicamente da busca humana pelo estado de plenitude. O personagem passa por várias experiências na crença e na descrença para, por fim, atingir tal estado. Em 1972 o grupo de rock progressivo YES escreveu uma obra inteira (“Close to the Edge”) inspirada nesse livro. Em 2009, na cidade de São Vicente (SP) alguns músicos se reuniram na intenção de trabalhar temas ligados às mais diversas filosofias espiritualistas, numa proposta holística que também mistura diversos estilos rítmicos e melódicos.

Coordenado por Rogério Baraquet, o grupo identificou-se com a proposta da agora clássica obra do escritor alemão e adotou seu nome. A banda Sidarta é formada atualmente por Baraquet (voz, violões, guitarras, ukulele, teclado), Chico Nass (baixo), Allan Lima (guitarras, violão), Jayme Lopes (voz e percussão), João Paulo França (bateria), Ana Luiza Branches (voz), Abigail Baraquet (escaleta, sinos, percussão), Maritta Araújo (voz), Adhoksaja Das (mrdanga, kartalas, voz), Livany Salles (voz), Leonai Gomes (voz) e Sérgio Argento (percussão, sax e flauta). E tem recebido, ao longo dos anos, cada vez mais notoriedade no cenário musical não só da região, mas de outras cidades.

lançará seu primeiro álbum, homônimo e com 13 músicas, em 20 de fevereiro, uma quinta-feira, a partir das 21h30, na Comedoria do Sesc Santos.O cachê que a banda receberá para a apresentação será revertido em prol doLar das Moças Cegas e do Lar Espírita Mensageiros da Luz. No concerto, o grupo apresentará as faixas do CD. Os ingressos variam entre R$ 2 e R$ 10.

Trajetória

Inicialmente com apresentações no pequeno Espaço RAJ, em São Vicente, logo as fronteiras foram expandidas e hoje a banda conta em seu currículo apresentações em lugares de bastante relevância cultural, como a Casa das Rosas, na capital, a Fundação Pinacoteca Benedito Calixto e o SESC, e também em eventos de igual porte, como a Virada Cultural Paulista e a Mostra de Arte Contemporânea.

A formação reúne pessoas das mais variadas origens e faixas etárias, inclusive “jovens” de mais de 70 anos. Suas apresentações tem chamado atenção pela base musical e vocal bem cuidada e, principalmente, pelas misturas inusitadas: de mantras indianos com rock e música sacra com ritmos brasileiros, só para citar alguns exemplos.

O CD

Em agosto de 2009 algumas pessoas – uns músicos profissionais, outros não – se reuniram com algumas outras pessoas para tocar e cantar canções que tivessem em comum a filosofia espiritual. A intenção era simplesmente a de formar uma “vibe” positiva através do poder da música, com a leveza de um encontro de amigos e de futuros amigos.

No princípio, a linha mestra eram os bhajans (canções baseadas em mantras indianos), mas logo as fronteiras foram se expandindo e foram entrando músicas indígenas, cantos afrobrasileiros, canções árabes e judaicas. Os arranjos também iam se diversificando: pop, rock, samba, afoxé, blues e até baião foram entrando na mistura. Ao mesmo tempo as fronteiras daquela sala também se expandiram e aquele grupo de amigos se tornou uma banda. Este CD é o reflexo de quatro anos de desenvolvimento e amadurecimento dessa história, grande parte dele burilado naquela mesma sala onde tudo começou. “Cada um contribuiu com sua história e sua inspiração, ninguém ficou de fora do processo. Nesse tempo todos cresceram, tanto pessoal como musicalmente. Alguns passaram e seguiram seus caminhos, outros chegaram e ficaram e o resultado dessa jornada está aqui. Esperamos que vocês tenham tanto prazer em ouvir como nós temos em tocar e cantar”, ressalta Rogério Baraquet.

Serviço

Show de lançamento do CD da banda Sidarta
Quinta, 20 de feveiro, 21h30
Comedoria do Sesc Santos, Rua Conselheiro Ribas, 136, Aparecida
R$ 2 (trabalhador do comércio matriculado no Sesc e dependentes, R$ 5 (usuário inscrito no Sesc, estudante, professores da rede pública, pessoas com mais de 60 anos e com deficiência), R$ 10 (inteira)

By André Azenha