10/10/2017 Por Victória Silva Novidades da cidade

Uma nova vida para o Bike Santos?

Em novembro de 2017, o Bike Santos completa 5 anos.

A chegada do sistema à cidade causou verdadeira euforia. Afinal, vivemos em um município plano e cheio de ciclovias. Nada melhor do que poder pegar uma bike e ir pedalando até o próximo compromisso no lugar de esperar um ônibus lotado.

Mas as coisas começaram a desandar…

Em dezembro de 2014, nós nos decepcionamos pela primeira vez. As bicicletas existiam e o sistema, teoricamente, estava em expansão. Só que ficou bem difícil encontrar uma bicicleta com condições de utilização.

As coisas melhoraram. Porém a história do sistema é bem parecida com as trilhas de uma montanha russa e as reclamações voltaram a acontecer várias vezes. Até que, na última semana, recebemos a notícia de que o método de cobrança vai mudar. Agora o Bike Santos será pago.

Será essa uma forma de dar uma nova vida para o Bike Santos?

bike santos pneu

A nova empresa responsável pelo serviço justificou a mudança dizendo que, desta forma, o modelo terá custo zero para a cidade e o valor cobrado possibilitará melhorar a qualidade e, consequentemente, a manutenção do serviço prestado.

E está precisando, viu? Nossa equipe tentou usar as bicicletas em diversas ocasiões e esse foi o resultado:

Posto 11 (Universidade Santa Cecília)

Nenhuma bicicleta disponível em quatro dias consecutivos. Seguido por uma bicicleta sem banco e outra sem freio.

Posto 22 (Unimes)

Uma bicicleta disponível. Pneu furado.

Posto 20 (Carvalho de Mendonça)

Duas bicicletas disponíveis.

22281329_1474947795928644_838977659_o (1)

Para que isso não volte a acontecer, a partir de agora os usuários terão que pagar uma taxa para utilizar o sistema. Os valores são: R$7,50 por mês (plano anual), R$8,33 mensal (passe semestral), R$10 (plano mensal) e R$5 para o passe diário, indicado para turistas.

“Eu usava o sistema como meu meio de transporte. Era mais tranquilo por não ter que me preocupar com cadeado e essas coisas… mas de uns tempos pra cá virou problema. Tive que voltar de ônibus ou a pé várias vezes e não é por que tem muita gente usando. É por que não tem bicicleta mesmo. Tomara que com a taxe isso mude”, relata o usuário Jonatan Oliveira.

O que muda

A frota de bicicletas será trocada (ouvimos um amém?).

A promessa é que as 100 primeiras já sejam substituídas ainda no primeiro mês, outra centena em 60 dias; e a quantidade total (370 bikes) em até três meses.

As estações também serão modificadas. O novo contrato diz que o serviço completo completo (estações e bikes) deve ser efetuado em até após 90 dias. Porém, a CET garante a continuidade do mesmo durante a transição, a fim de que a população não seja prejudicada.

Uma notícia boa: o primeiro mês vai ser gratuito para os usuários que já são cadastrados. Nos próximos dias, a empresa iniciará campanha para orientar os usuários sobre o recadastramento no sistema e as novas regras de uso.

Esperamos que a mudança seja benéfica. Afinal, o sistema é utilizado por muitas pessoas como o Jonatan, que pedala do trabalho para a faculdade e para casa. Desde sua estreia, o Bike Santos totaliza mais de 1,5 milhão de viagens.

Você usa o Bike Santos? O que achou da mudança?