Flávia Saad
Texto porFlávia Saad
38 anos - Santos (SP)

Será que estamos mais solidários depois do coronavírus?

Surpresas, reflexões e muitas mudanças.

Agora que 2020 está entrando na reta final, a gente começa a pensar sobre o que fez no ano que não existiu.

Uma pergunta que fizemos ao longo dele aqui no QG do Juicy Santos é: será que ficamos mais solidários depois do coronavírus?

Pensamos mais em um pacto social coletivo ou fomos vencidos pelo estresse e pelo cansaço de uma situação adversa nunca prevista?

www.juicysantos.com.br - ficamos mais solidários depois do coronavírus?

Ficamos ou não mais solidários depois do coronavírus?

Bom, pra responder a essa pergunta, encontramos dados. Uma pesquisa do Datafolha, encomendada pela OMO, aponta que 96% dos brasileiros tem vontade de realizar mais ações de solidariedade. No entanto, apenas 27% se envolveram nos últimos meses em ações solidárias coletivas. Foram entrevistados por telefone cerca de 1.500 pessoas em todas as regiões do país.

Aqui na região, tivemos algumas iniciativas pós-COVID-19 que valem ser mencionadas. Selecionamos 7 delas para você conhecer – ou rever.

Baixada Santista pela VidaEntidades da sociedade civil se organizaram rapidamente para coletar doações para comunidades socialmente vulneráveis.

Casa da Vó Lizete

Um grupo de amigos se juntou para reformar a moradia de uma senhora que vivia em condições subhumanas.

Sharity

Startup com vários santistas na equipe oferece a oportunidade de fazer financiamento coletivo solidário.

App Fique em Casa

Um app foi criado para conectar pessoas dos grupos de risco que não poderiam sair de casa a quem as ajudasse com tarefas externas.

Livros no hospital de campanha em Guarujá

Equipe do hospital de COVID-19 no Guarujá incentiva a leitura para os pacientes em tratamento.

Rede Elos

Uma plataforma criada pelo Instituto Elos, de Santos, lista comunidades e aldeias necessitadas em todo o Brasil e você pode escolher com qual delas quer contribuir.

Bolos para quem precisa trabalhar na linha de frente

Moradora de PG passou a fazer bolos em casa para presentear equipes de prestadores de serviço que não puderam parar na quarentena.

Quero ajudar. Como faço?

De acordo com a pesquisa citada acima, 68% dos brasileiros age de forma individual e pontualmente em ações solidárias. A justificativa é que não conhecem formas de realizar essa ajuda. De cada 10 pessoas, 3 associam ações de solidariedade com atitudes coletivas, como ações para o bem estar comum, ajuda a instituições – como ONGs, orfanatos, hospitais, asilos, e com a prestação de serviços voluntários e comunitários.

Um fato curioso é que o brasileiro se vê como solidário – 92% dos entrevistados. Mas, ao serem questionados se o próximo também pratica o bem, a percepção é menor. Apenas 68% acha isso.

E você, acha que no “novo normal” estamos mais empáticos com aquilo que nos cerca? Será que a humanidade vai sair dessa melhor? Conseguiremos revisar nossos hábitos pra que eles sejam mais inclusivos e para todos?

Aqui no Juicy Santos estamos sempre em busca de histórias para contar. Mande pra gente a sua sugestão no e-mail [email protected] ou nas nossas redes sociais: Facebook e Instagram.