Victória Silva
Texto porVictória Silva
Jornalista, 24 anos - Santos

Aracelia, uma vovó conectada e agradecida pela tecnologia

  • 1
    Share

Foi num fim de tarde, desses em que a gente está meio de bobeira, que Aracelia Peres Lourenço decidiu comprar um tablet. Não sabia exatamente o que era o aparelho e nem para o que servia. Mas todo mundo tinha um e ela quis o seu também.

Voltou da loja, abriu a caixa e sentiu medo de usar.

Aliás, não sabia nem por onde começar. Na época, ela não era uma vovó conectada, muito pelo contrário: o celular era o mais simples possível e ela usava apenas para fazer ligações. Mensagens? Nem pensar.

“Quando eu peguei o tablet na mão, pensei que ia estragar ele. Aí, lembrei que era meu, né? Tudo bem se eu quebrasse”.

Foi com esse pensamento que o bichinho desconhecido começou a ser desbravado.

www.juicysantos.com.br - aracélia é uma avó conectada

E então ela virou uma vovó conectada

Aos 83 anos, Aracelia é uma usuária super ativa do Facebook, WhatsApp e Instagram,

Aliás, ela largou o tablet e comprou um celular logo que aprendeu (sozinha) a lidar com a tecnologia. De acordo com ela, o primeiro aparelho era muito simples e não dava todas as possibilidades de conexões que ela gostaria de ter.

“Eu comecei a conversar com as minhas irmãs e minha filha. E fiquei desesperada para ter um celular que tivesse mais funções. Demorou um pouquinho, mas comprei e fiz um ‘zap’ pra entrar no grupo das manas”.

Além do grupo com as irmãs, ela também usa o celular para conversar com os netos e para acompanhar seus artistas preferidos. Mas é enfática ao dizer: faz tudo de maneira muito saudável e balanceada. Pois o artesanato ainda é o maior passatempo de seus dias.

Avós e a internet na pandemia

Josefina Souza, diferentemente de Aracelia, não se rendeu à tecnologia.

Assistiu ao ‘boom’ dos tablets com pouco entusiasmo e sempre revirou os olhos ao ver os netos mexendo no celular. O dela, presente de um dos filhos, servia apenas para ver as horas. Com a chegada da quarentena e a necessidade do isolamento social, as coisas mudaram um pouco.

“Pedi pro meu neto me ensinar a usar. É difícil e eu ainda esqueço, mas anotei num caderno e quando tenho dúvida olho qual é o caminho”, comenta.

As buscas por “como usar o WhastApp” e “WhastApp para idosos” tiveram um aumento repentino nos últimos meses. Reflexo da necessidade de contato entre famílias e a impossibilidade de fazer isso sem a ajuda da tecnologia.

www.juicysantos.com.br - avós conectadas

Josefina não pesquisou, mas já considera que perdeu tempo ao demorar tanto para dar atenção ao celular.

Assim como Aracelia, hoje ela agradece pela existência da tecnologia.

“Imagina como seria a vida nessa pandemia sem? Não teria como se comunicar, se ver… Eu uso as vídeochamadas pra falar com a família. É muito bom, muito mesmo”, comenta.

Já conhece o Divertidosos?

Quando o assunto são vovós e vovôs na internet, é impossível não falar sobre o Divertidosos. O portal nasceu em 2013 para promover a inclusão digital da turma da terceira idade e, desde então, faz um baita sucesso.

Rolam dicas de como usar aplicativos, passeios e várias atividades. Com a pandemia, surgiu o Pandebingo. Um bingo feito através do Google Meets com idosos aqui da região e de São Paulo. As transmissões acontecem aos sábados, às 17 horas. Se você tiver interesse, anote aí: o próximo Pandebingo acontece no dia 1º de agosto.