Victória Silva
Texto porVictória Silva
Jornalista, 24 anos - Santos

Para cada caso registrado de COVID-19 na região, existem 7 desconhecidos

Clique aqui e confira também nosso tema da semana

  • 1
    Share

O comércio já está voltando a funcionar em Santos e região.

Com isso, aos poucos, temos a sensação de que a rotina retorna ao normal. Mas será que essa é uma sensação verdadeira e está realmente seguro sair de casa? Um levantamento sobre coronavírus na Baixada Santista tem a resposta.

O que diz o levantamento sobre coronavírus na Baixada Santista

Realizado entre 29 de abril e 20 de junho, o estudo EPICOBS (Epidemiologia da COVID-19 na Região Metropolitana da Baixada Santista) apresenta resultado pouco animadores.

Em resumo, os números reforçam que ainda é necessário ficar em casa.

juicysantos.com.br - levantamento sobre coronavírus na Baixada Santista

A pesquisa, realizada pelo Governo Estadual de São Paulo em parceria com a Unifesp e outras instituições, é inédita por aqui. Já em território nacional, esse é o segundo estudo de base populacional para pesquisa.

Mecanismo do estudo

No total, 2.442 testes foram aplicados em moradores das nove cidades da região.

A pesquisa aconteceu ao longo de dois meses, com intervalos de 15 dias entre cada uma das fases. De acordo com a divulgação, do universo de amostras coletadas, 160 foram positivos para a presença de anticorpos do novo coronavírus. Ou seja, para cada caso que a gente tem conhecimento na região, há outros 7 não notificados.

Isso significa aproximadamente 1 infectado para cada 15 habitantes da região.

Para maior confiabilidade dos dados, a seleção dos cidadãos foi definida por sorteio e as coletas, realizadas em domicílio.

A pesquisa também mostrou que…

Cerca de 6,6% da população da região entrou em contato com o coronavírus. A estimativa aponta que em torno de 120.904 pessoas sejam portadoras do vírus por aqui.

Além disso, o estudo chegou a dois percentuais para estimar a proporção de óbitos causados pelo novo coronavírus na Baixada:

  • A letalidade é de 4,5%, se usarmos como base os casos notificados (18.521) e o total de óbitos (812);
  • Já com o total estimado pela pesquisa (120.904), a taxa de mortalidade cai em 0,7% – desde que usando o mesmo número de mortes.

Em outras palavras, a prevalência do coronavírus está em ascensão na Baixada Santista. Os números também mostram que a disseminação da infecção na Baixada Santista é mais acelerada do que todos os estudos semelhantes no mundo.

Se você puder, continue em casa. E, se precisar sair, não esqueça de usar sua máscara!