Victória Silva
Texto porVictória Silva
Jornalista, 24 anos - Santos
TAGs

Janela do Tempo – app guia passeios no Centro Histórico de Santos

Apesar de estar pertinho de nós, o Centro Histórico não faz parte da rotina de muitos santistas. Há quem visite essa região da cidade apenas durante eventos como, por exemplo, o Santos Café ou o Geek. Mas a verdade é que essa é uma região mega turística da cidade.

Durante a temporada de cruzeiros e todo o verão o Centro bomba de turistas.

E agora os passeios pelas ruas antigas da cidade vão ser ainda mais ricos. Pois foi lançado um aplicativo que guia passeios no Centro Histórico de Santos.

Pode pesquisar ai por Janela do Tempo – é de graça!

Aplicativo que guia passeios no Centro Histórico de Santos

Em resumo, o aplicativo-web Janela do Tempo permite ao usuário percorrer a pé a região central de Santos e viajar pelos cenários dos séculos 18, 19 e 20. Durante a utilização do app, o usuário visualiza fotos antigas e acessa áudios sobre monumentos e construções históricas da Cidade.

juicysantos.com.br - guia passeios no Centro Histórico de Santos

Dá para saber mais sobre, por exemplo:

  • Casa do Trem Bélico;
  • Estação do Valongo;
  • Casa da Frontaria Azulejada;

E várias outras construções históricas que fazem parte do cenário do Centro. Em outras palavras, o aplicativo é ótimo tanto para turistas quanto para quem é da cidade e não conhece a importância dessa região de Santos.

Já que você estará pelo Centro, a nossa dica é: aproveite para fazer o passeio de bonde, que é super característico e divertido 🙂

O Homem e a Paisagem: Santos a Ubatuba

Outra sugestão bacana é aproveitar a sua visita ao Centro para conhecer à exposição ‘O Homem e a Paisagem: Santos a Ubatuba – 1915-2015. Dividida entre 30 painéis e duas salas expositivas, a mostra une reproduções de imagens captadas pelo fotógrafo João Scarazzato durante a Expedição da Comissão Geográfica e Geológica do Estado de São Paulo (entre 1912 e 1915).

juicysantos.com.br - guia passeios no Centro Histórico de Santos

Além disso, registros de João Luiz Musa mostram o mesmo cenário cem anos depois.

A exposição está disponível na Casa do Trem Bélico, gratuitamente, por tempo indeterminado.