Texto porWagner Alcântara

Quando a Praia do Gonzaga virou a capital mundial de vôlei de praia

  • 3
    Shares

Em 2021, completam-se 25 anos das duas primeiras medalhas conquistadas por brasileiras na história dos Jogos Olímpicos. O ouro e a prata no vôlei de praia, respectivamente, de Jaqueline/Sandra e Mônica/Adriana, em Atlanta, 1996.

Pois nas areias de Santos – mais precisamente, nas da Praia do Gonzaga – as duas duplas experimentaram, antes, o gostinho de subir ao pódio em competição internacional.

Nos anos 1990, quando o Circuito Mundial de Vôlei de Praia Feminino estava começando (a primeira edição se deu em 1992), a Praia do Gonzaga recebeu etapas em três temporadas consecutivas – 1993, 1994 e 1995.

Era o “Open Santos” – ou “Aberto de Santos”.

Uma mega arena para o torneio era montada na altura da Praça das Bandeiras.

www.juicysantos.com.br - volei de praia em santos

Os jogos classificatórios ocorriam durante a semana, simultaneamente, em mais de uma quadra dentro da arena.

As partidas da fase final – estas sim, uma por vez – eram disputadas a partir de sexta-feira. A grande decisão, valendo o ouro, se dava na manhã de domingo, transmitida pela televisão para todo o Brasil.

Os santistas abraçamos o Circuito Mundial de Vôlei de Praia no Gonzaga.

 

Matéria no Jornal do Brasil descreve a participação da torcida santista

 

O público comparecia à arena, acompanhava, torcia, comentava os jogos. Tietava as atletas, inclusive à porta dos hotéis onde se hospedavam.

Na madrugada que antecedia a final se formavam filas nos portões de acesso do complexo. Ninguém queria ficar de fora. Assim que o acesso era liberado, as arquibancadas enchiam.

Rolava a festa

Os animadores oficiais de torcida puxavam o coro. Os nomes das atletas eram repetidos em ritmo musical: “Mônica e Adriana/ Sandra e Jaqueline/ Isabel e Roseli…”. E não faltava o “ai… ai, ai, ai… em cima, embaixo, puxa e vai”. Nos intervalos, jatos d’água refrescavam o povo.

A festa da galera era motivada pela qualidade técnica das partidas, marcada principalmente pela rivalidade Brasil x Estados Unidos. Eram embates, de tirar o fôlego, entre as maiores duplas da modalidade – além das brasileiras e das norte-americanas, as australianas também eram páreo duro.

 

Jornal do Brasil destaca o ouro de Mônica/Adriana, em 1994

Quem lembra?

Nas três temporadas em que a Praia do Gonzaga foi a capital mundial do vôlei de praia, a torcida santista festejou o ouro de Mônica/Adriana em 1994 – naquele ano ainda teve o bronze de Isabel/Roseli.

Em 1993, perdemos na final para as estadunidenses Kirby/Masakayan, mas o pódio foi completado com as brasileiras Isabel/Roseli (prata) e Magda/Adriana Behar (bronze).

A vitória norte-americana e o bronze de Jaqueline e Sandra em 1995, em nota no Jornal dos Sports

Em 1995, portanto um ano antes do ouro em Atlanta, Jaqueline e Sandra, em franca evolução, ficaram com o bronze em Santos. Naquele ano, os Estados Unidos fizeram a dobradinha, com Fontana/Hanley (ouro) e McPeak/Reno (prata). A revanche viria, como vimos, meses depois, nos Jogos Olímpicos.

O Aberto de Santos do Circuito Mundial de Vôlei de Praia ocorria em novembro.

Marcava o início da temporada de eventos de verão. Havia torneios de outras modalidades, na sequência, naquela mesma arena.

Em outros pontos, à noite grandes shows musicais embalavam a orla – bom, mas essa é conversa para a gente puxar em outro momento.

*A coluna Santos90, dedicada a resgatar a memória da cidade e da região na década mais divertida do século XX, tem autoria de Wagner de Alcântara Aragão, em colaboração para o Juicy Santos.