Texto porWagner Alcântara

Pense em Mim foi escrita em Santos: um ícone da música brasileira tem raízes caiçaras

  • 1
    Share

Leitoras e leitores do Juicy Santos, não sei se o que lhes trago é novidade. Mas, quando descobri o fato, há semanas atrás, fiquei surpreso.

Estava eu a folhear a edição de fevereiro da Revista Continente (espetacular publicação sobre cultura que vem lá de Pernambuco) e me deparei, em uma página, com duas fotos em sequência: em cima, da dupla Leandro e Leonardo. Abaixo, três homens sentados em um banco, em um jardim.

“É o jardim da orla de Santos?”, me auto indaguei de pronto, percebendo que a paisagem era familiar.

Um deles portava um LP da dupla em questão, evidenciando relação com os dois cantores.

Fui, então, ler a reportagem. Era, como a foto dava indícios, sobre a música sertaneja.

O texto de Marcos Queiroz aborda aspectos estéticos e artísticos do gênero ao longo do tempo. E relaciona sucessos (canções e duplas) às diferentes conjunturas sociais, políticas e econômicas do Brasil.

Até que, cinco páginas depois do início da reportagem, cheguei às informações que revelariam a relação entre o trio e a dupla.

Página da Revista Continente sobre a autoria santista de “Pense em mim”

Na foto, estavam os compositores Douglas Maio, José Ribeiro e Mário Soares, autores de Pense em Mim – um dos maiores hits da música sertaneja (e da música brasileira, de modo geral).

Um dos hits dos anos 90.

Pense em Mim foi escrita em Santos?

“A história da música começa em 1985, no Morro da Nova Cintra, em Santos”, explicava a reportagem.

O texto continuava: “Douglas Maio, José Ribeiro e Mário Soares compuseram [“Pense em mim”] como um reggae e de maneira inusitada”.

Isso mesmo: um dos maiores sucessos da música sertaneja é de autoria caiçara. Do Morro da Nova Cintra. E era para ser um reggae.

A Santos dos anos 90, cujos recortes trazemos nesta coluna, também deixou esse legado: “Pense em mim”.

A matéria diz ainda que Douglas Maio, depois de a música ter estourado na voz de Leandro e Leonardo, tentou seguir pela carreira de cantor de música sertaneja, e não mais de reggae. Mas, conforme relata o texto, Douglas Maio contou que o racismo estrutural foi um impeditivo para obter espaço na mídia. Inclusive, lembra que teve participação no Programa do Gugu cancelada, em certa ocasião.

Busquei saber mais sobre a autoria santista de “Pense em mim”. Em pesquisa rápida na internet, surgem algumas notícias em que os autores reivindicam repasse de direitos. Lamentam como os compositores raramente têm sua obra reconhecida pela mídia, pela crítica, pelo público – a fama fica apenas com os intérpretes.

Têm razão.

Leandro e Leonardo são rapidamente identificáveis, mesmo por quem não acompanha música sertaneja, ou é de outra geração. O que não ocorre com os autores de seus clássicos. Eu mesmo não sabia ser o trio da foto os criadores da obra de arte.

Foto dos compositores nos anos 90. Fonte: site Novo Milênio

Em tempo: uma matéria reproduzida pelo site Novo Milênio, original do jornal Espaço Aberto, de 1991, cita como um dos autores de “Pense em mim” o também santista Luiz Aires, não mencionado na reportagem da Continente.

*A coluna Santos90, dedicada a resgatar a memória da cidade e da região na década mais divertida do século XX, tem autoria de Wagner de Alcântara Aragão, em colaboração para o Juicy Santos.