Victória Silva
Texto porVictória Silva
Jornalista, 23 anos - Santos

Histórias de avós e netos que vão derreter o seu coração

Uma coisa é unanimidade: carinho de avó e avô não há igual.

É por isso que todo mundo gosta de passar as férias na casa deles. Afinal, sempre tem tudo o que os netos amam e aquela frase típica: come mais um pouquinho, você está tão magrinho (a)!  

Os nossos avós são tão especiais que merecem um dia só para eles, né? Em 26 de julho, comemora-se o Dia dos Avós. 

Dias dos Avós

A data existe no Brasil e em Portugal. Ao contrário do que acontece nos dias das mães e dos pais, por exemplo, não é fixa em um dia da semana. Isso porque sua origem é um pouco diferente: de acordo com as tradições católicas, 26 de julho é o dia de Santa Ana e de São Joaquim – os pais de Maria, ou seja, avós do menino Jesus.

Ainda de acordo com o que conta o catolicismo, o casal sonhou em ter um filho por mais durante 20 anos, porém não obteve sucesso. Então, Joaquim jejuou por 40 dias e 40 noites, na esperança que Deus o ajudasse a realizar o sonho. Ao mesmo tempo, Ana orou fervorosamente pelo mesmo motivo. Anjos apareceram para ambos e garantiram que eles teriam uma filha.

É por isso que Santa Ana é a padroeira das avós.

Histórias de avós e netos pra você se emocionar

www.juicysantos.com.br - Histórias de avós e netos

Não é só a tradição católica que tem histórias bonitas de avós, né? No nosso dia a dia, ouvimos vários relatos emocionantes. Por isso, como forma de homenagear todos os avós de Santos e qualquer outro lugar, o Juicy Santos (com a ajuda dos nossos leitores) listou histórias que vão derreter o seu coração.

Pegue lencinhos. Depois, conte aqui pra gente nos comentários a história que você tem com os seus avós. E, se for possível, dê um abraço ou faça uma ligação demonstrando o seu amor!

Que dia ela vai aparecer na TV?

A história da minha família é bem ‘típica’, ou seja, avós que vivem no Nordeste. Por isso, meu avô sempre teve horários totalmente diferentes: às 7 horas, ele já estava pensando no almoço e quando acabava o jornal, ia dormir. Então, eu comecei a faculdade de Jornalismo e sempre que alguém da família ligava para ele, ouvia a mesma pergunta:

– Quando a Victória vai aparecer no jornal?

Mas eu nunca fui uma grande fã das câmeras. Mesmo assim, participei de um jornal da faculdade para mandar a gravação pra ele. Então, todos que chegavam na casa eram convidados a assistir à minha atividade da faculdade. Infelizmente, ele faleceu faltando poucos meses para minha formatura 🙁

– Victória Silva

Primeiro viagem sozinho

Essa é a história do meu pai com a minha filha.

Eu vivo no México com a minha família e meus pais moram em Santos. Havia 2 anos que o meu pai não via a minha filha. Então, depois de 53 anos de casamento sem nunca viajar sem a minha mãe (nem para locais perto, que dirá uma viagem internacional), ele decidiu vir ao México ver a neta. Meu pai tem 80 anos e viajou até Cancun totalmente sozinho, o que eu achei um ato de coragem e muito amor.

Agora a minha filha, de 8 anos, está passando as férias em Santos. Os dois nomearam as viagens de “aventura 8/80”.

– Glaucia Canil 

Ela sempre leva uma listinha com nossos nomes

Minha vó tem muita fé e também muitos netos *risos*. Então, sempre que ela vai à igreja, leva folha com o nome de todos os netos, para não esquecer de rezar por ninguém. Além disso, eu acho muito fofo que sempre que ela recebe, separa o dinheiro assim: “dízimo, contas e netos”.

Isso porque ela não gosta de cozinhar, mas ama mimar todo mundo. Então, todo domingo ela manda a gente comprar um frango assado ou lasanha. Nós vamos almoçar com ela e sempre tem refrigerante ou um suco que todos gostam, além de vários doces.

– Ana Claudia

Sempre pensava em tudo

Tenho muitas histórias com o meu avô. Desde ele acordando todo mundo mega cedo aos domingos cantando até ele me apresentando diferentes destilados. Mas a mais bonita está relacionada à faculdade.

Eu que pagava a minha faculdade e, por isso, meu salário não dava para nada. Então, meu avó me ajudava pagando o meu fretado. Quando eu estava no último ano, ele ficou doente e veio a falecer, mas eu recebi a notícia de que ele tinha feito um seguro de vida no meu nome, para garantir que eu terminasse o curso.

Além disso, ele e a minha avó eram separados e ele tinha outra esposa. Mas fez um testamento pedindo para que metade da pensão fosse para a ex-esposa, pois ele sempre a ajudou.

– Larissa França

Dr. Troquis

Minha avó costumava falar muitas coisas errado, às vezes eu acho era de propósito. Uma bisneta se chama Laís e ela dizia “eu não consigo dizer Laís, só Laide!”. Mas tem uma história dela que eu sempre dou muita risada. A minha prima, mãe da Laís, resolveu acompanhá-la em uma consulta ao otorrinolaringologista. O nome do médico, bem famoso na cidade, é Trocoli. Mas, de tanto minha vó chamá-lo por outro sobrenome, minha prima foi marcar o horário e disse:

– Boa tarde, gostaria de marcar um horário com o Dr. Troquis!

A secretaria deu muita risada e disse que não tinha ninguém com esse nome, só Trocoli. Por isso, sempre que rola algo meio Trapalhões, a gente lembra dela com muito carinho (que, inclusive, era muito fã do quarteto de humoristas).

– Carla Peres