Victória Silva
Texto porVictória Silva
Jornalista, 23 anos - Santos

Alegra Centro

O centro de Santos é um grande acervo histórico do Brasil a céu aberto. Nele, estão construções que representam diferentes momentos da história do país, desde meados de 1545, quando a cidade foi fundada.

santos8-2Imagem via: Skyscraper City

Essa importância foi vista e desde então valorizada pela prefeitura da cidade, quando em 2003 o projeto Alegra Centro foi criado.

Antes deste, no entanto, outros projetos já mostravam a intenção do poder público em tornar o espaço um ponto turístico, como o remanejamento dos ambulantes e a criação do passeio de bondinho pelo local, no início dos anos 2000.

Quem passa pelo centro nos dias de hoje normalmente se pergunta como a região ficou estagnado por tantos anos.

Para a resposta é preciso criar um contexto histórico, então vamos lá:

fotos142Foto: Guilherme Gaensly. Acervo: Arquivo do Estado de S.Paulo, S. Paulo/SP

Inicialmente ocupado pela camada burguesa de Santos, o centro histórico passou por uma mudança em seu cenário durante o século XIX e a primeira metade do século XX.

Neste período uma forte ligação entre o porto e o comercio foi estabelecida. O que acarretou a ida de trabalhadores (camada mais pobre) para a região até então nobre.

Tal mudança de cenário fez com que construções grandiosas fossem arquitetadas na Vila Nova e Paquetá e, posteriormente, os bairros da orla da praia fossem valorizados.

Foi esse abandono da elite que ocasionou a deterioração do centro, tendo em vista que os investimentos públicos mudaram de região junto a eles.

IMG_2185Imagem via: Skyscraper City

O “Alegra Centro” procura revitalizar, desenvolver e impulsionar a economia da região nos dias de hoje. Trazer de volta a população santista para o local. Para isso o projeto conta com incentivos para quem tem ou pretende ter um estabelecimento comercial no local.

Além da isenção do IPTU da construção, ISS da obra, ITBI no caso de compra e venda, há ainda a possibilidade de patrocínio de outras empresas santistas.

Para conseguir tais incentivos existem algumas exigências. Entre elas: estar instalado num imóvel restaurando, seja ele nível de proteção I (todo o imóvel) ou 2 (apenas telhado e faixada), desenvolver atividades relacionadas ao anexo e realizar a restauração do imóvel.

Nos 12 anos de projeto muitas coisas mudaram, o então esquecido pedaço da cidade voltou a ser rota turística, ponto para aulas de história, palco de espetáculos teatrais e cenário de belíssimas fotos que ilustram o orgulho santista.

Olá só essa imagem que nós encontramos na Veja SP comparando uma construção antes e depois do projeto:

montagem-capa