Flávia Saad
Texto porFlávia Saad
37 anos - Santos (SP)

Morar em Santos: Pricyane conquistou sua independência por aqui

O Juicy Santos vem contando a história de pessoas que vêm morar em Santos pelos mais diversos motivos.

Natural de São Luís (Maranhão), Pricyane Duarte chegou por aqui em 2015 em busca de trabalho e novos ares. Conseguiu as duas coisas.

“Nunca, nos meus mais distantes pensamentos, me vi saindo do Maranhão, principalmente sem meus pais e irmãos. Mas não me arrependo de nada e faria tudo de novo”, explica.

Com seu sotaque maravilhoso – e ainda intocado -, ela contou pra gente um pouco sobre o que a trouxe para a Baixada Santista, o que mais gosta por aqui e também o que a decepciona.

Se você está pensando em se mudar para Santos ou se mudar para a Baixada Santista, leia a entrevista com a Pri e saiba o que esperar dessa região.

www.juicysantos.com.br - como é morar em santos por pricyane duarte

Como é morar em Santos, por Pricyane Duarte

Juicy Santos: Como você tomou a decisão de se mudar para Santos?
Pricyane Duarte: Me mudei em 21 de março de 2015, vinda de São Luís, Maranhão, aos 21 anos. Na época, vim a trabalho, em um período de procura de crescimento profissional. Me vi carente de um “a mais”, de novos ares. Foi quando surgiu a ideia por parte de familiares de conhecer a cidade e, quem sabe, ficar.

Foi paixão à primeira vista! E, em fevereiro de 2015, vim passar o Carnaval. Menos de 40 dias depois, eu já estava arrumando tudo pra voltar pra ficar.

Minha primeira impressão foi de uma cidade bem organizada e estruturada, de fácil deslocamento e de uma boa diversidade no lazer. Hoje, trabalho com distribuição no ramo hortifrutigranjeiro na Baixada Santista e também no ramo dos descartáveis para consumo alimentício.

A experiência de sair da zona de conforto amadurece e é algo que eu recomendo muito pra quem está pensando sobre. Vivi e vivo coisas que talvez não tivesse a oportunidade se eu tivesse preferido esperar pelo “previsível” da vida. E já se foram 3 anos que mais parecem 30…

Coisas boas

Juicy Santos: Qual a maior vantagem de morar em Santos?
Pricyane Duarte: Acho muito legal como a cidade pensa na locomoção de ciclistas e como se torna fácil até mesmo a pé de se locomover de um lugar ao outro. O comércio, no geral, (centros comerciais e shopping) não tenho do que reclamar. Tudo o que você quer, você acha.

Juicy Santos: Como foi o processo de mudança?
Pricyane Duarte: Em Santos e São Vicente foi muito tranquilo. Deu pra resolver tudo à distância sem surpresas desagradáveis, sem enrolação. Já totalizam 3 mudanças entre as duas cidades (até agora). *risos*

Mudar e sonhar

Juicy Santos: Qual a maior mudança que você adotou no estilo de vida?
Pricyane Duarte: Diversas coisas. Mas entre elas, as principais são o custo de vida. Porque aqui determinada coisa chega a custar o triplo do que custa em São Luís e aluguel também não é nem um pouco barato. O sotaque, intacto até agora, me faz até hoje precisar explicar uma expressão ou outra. Mas não tem problema nenhum, até acho engraçado. O relacionamento das pessoas umas com as outras, em que eu até hoje sinto um pouco de dificuldade. Os santistas são parceiros, mas antes tem que existir uma confiança da parte deles. E, claro, no trânsito, há a questão de quantidade: muitos carros nas ruas.

Juicy Santos: O que mais te encanta na cidade?
Pricyane Duarte: A vida noturna. Desses três anos pra cá, tem muita coisa nova legal surgindo pra conhecer. Também achei curioso uma cidade dividida com canais e cada um com sua particularidade. A praia e sua orla incrível, que é um belíssimo cenário pra fotos e um passeio final de tarde. Gosto das padarias apesar de ter que falar aqui “média” ao invés de “pão massa grossa”, “pingado” ao invés de “café com leite” e “biscoito de polvilho” ao invés  de “pêta”. Morar em Santos ampliou meu dicionário hahahahahaha.

O que pode melhorar

Juicy Santos: O que te decepciona aqui?
Pricyane Duarte: O pouco ou nenhum policiamento de madrugada, na volta pra casa no final de semana de baladas ou barzinhos. A falta de mais lugares LGBT também me deixa triste, pois é um assunto que precisa de mais representatividade aqui na Baixada Santista.

Juicy Santos: Qual foi a maior descoberta que você fez morando aqui?
Pricyane Duarte: Pessoalmente, me descobri muito no sentido de me virar sozinha, além de entender como funciona um grande estado como São Paulo e toda a economia e rotina de trabalho. Almejei mais coisas e sonhei mais alto.

Juicy Santos: Quais os lugares que mais ama aqui?
Pricyane Duarte: Os pontos turísticos do Centro Histórico, a Ilha Porchat, a parte da Ponta da Praia onde dá pra ver os navios cargueiros indo e vindo e toda a beleza da Avenida Ana Costa num fim de tarde ensolarado.

Veio morar em Santos vindo de outros lugares do Brasil ou do mundo (ou conhece alguém que passou por isso)? Gostaria de contar sua história por aqui? Mande um oi pra gente no [email protected].